Floripa na Foto começa hoje com workshops, palestras, mostras e projeções

O evento, que está na terceira edição, é um passo determinante para a construção da linguagem fotográfica de Florianópolis

Com a proposta de promover uma reflexão sobre a fotografia e dar visibilidade ao que é produzido em Florianópolis começa hoje a terceira edição do festival Floripa na Foto. O encontro que une artistas, pesquisadores, educadores e fotógrafos profissionais e amadores ocupa os espaços do CIC (Centro Integrado de Cultura), com workshops, palestras, projeções, lançamentos de livros e exposições que permanecem até fevereiro abertas a visitação.

Priscila Alb/ND

Fotógrafos do Notícias do Dia participam do festival na exposição “Itinerários”

O evento é um passo determinante para a construção da linguagem fotográfica de Florianópolis, onde é possível descobrir quais referências e técnicas estão sendo utilizadas pelos profissionais da cidade. Seguindo os traços do que já é desenvolvido internacionalmente, a edição deste ano do Floripa na Foto explora uma das técnicas de impressão fotográfica que há anos é a única permitida em exposições de museus como o Louvre: a chamada fine art.

Trata-se de um tipo de impressão feita em papel algodão que mantém as cores originais da imagem por até 250 anos. A fine art promove uma riqueza estética maior à fotografia, especialmente se ela já for clicada pensando na impressão. Além de uma das exposições, a Coletiva Floripa na Foto, ter sido toda impressa com a técnica, o tema ainda será apresentado no workshop do fotógrafo Clicio Barroso. Fotografias de artistas renomados como Evandro Teixeira, Rogério Ferrari e J.R Ripper, impressas em fine art, também serão comercializadas em uma feira durante o evento.

 O laboratório Multicor, em Florianópolis, é o único em todo o Estado a imprimir este tipo de fotografia. Lá, uma impressão em tamanho A4 custa entre R$30 e R$ 45, dependendo do material utilizado, tudo importado. “Ainda falta conhecimento sobre a fine art aqui, porque valor ela tem. É um mercado que tem crescido muito no Brasil, e na Europa já é muito comum”, afirma Endrigo Righeto, sócio do laboratório. De acordo com ele, são impressos por mês em torno de 50 metros quadrados de fotografia em fine art.

Larissa Nowak/Divulgação/ND

Lu Renata e Lucila Horn são as idealizadoras do Floripa na Foto

Um novo panorama

As oito exposições espalhadas pelo CIC no Espaço Lindolf Bell, MIS (Museu da Imagem e do Som), e Masc (Museu de Arte de Santa Catarina) promovem uma mostra eclética, que envolve desde a experiência de fotógrafos veteranos até o olhar de alunos que ainda estão aprendendo a lidar com as lentes. O cotidiano do fotojornalismo, com imagens captadas pelos fotógrafos do jornal Notícias do Dia, também ganha espaço na exposição “Itinerários”.  As fotos mostram a rotina da cidade da cidade sob a ótica da reportagem de todas as editorias, do esporte à economia. “Procuramos democratizar as exposições, dar a oportunidade para artistas, estudantes e pessoas com quem já trabalhamos”, explica Maria Lucila Horn, que coordena o evento ao lado da sócia Lu Renata.

Desde que a dupla começou a promover eventos relacionados à fotografia em Florianópolis, por volta de 2004, muita coisa mudou. No comando da produtora Duo, elas conseguiram criar um novo cenário para os fotógrafos locais, trazendo além do conhecimento de renomados profissionais da área até a oportunidade de exporem o que produzem, sobretudo a partir da primeira edição do Floripa na Foto, em 2010.

“Com festival abrimos mais espaço para exposições, antes não tinha nenhum. Alguns fotógrafos que fizeram parte do evento chegaram inclusive a participar do leilão do Paraty em Foco”, afirma Lu Renata, referindo-se a um dos principais eventos de foto do país.  Para ela o que também mudou foi a forma como as pessoas vêem a fotografia, não mais como uma simples imagem. “Ela sempre havia sido o primo pobre, agora ela é arte”.

Serviço:

O quê: Festival Floripa na Foto

Quando: 27 a 30/11

Onde: CIC (Centro Integrado de Cultura), av. Irineu Bornhausen, 5600, Agronômica, Florianópolis, tel.: 3953-2380

Quanto: Visitação gratuita. Workshops: R$390 a R$550. Leitura de portfólio com Scott MacLeay: R$100 

Informações: http://floripanafoto.com/

+

Floripa na Foto

Loading...