Jam no MAJ de novembro traz “Paticumbuns” em encontro de ritmos

Richard Montano, de Florianópolis; o também baterista Rafael Vieira, de Joinville; e o percussionista Jean Juarez Ferreira, o Jean Boca, de Jaraguá do Sul; são os convidados especiais deste dia

Neste domingo, dia 1º de novembro, a partir das 16 horas, a quarta edição do projeto Jam no MAJ de 2015 leva aos jardins do Museu de Arte de Joinville o Encontro de Ritmos. Como convidados, o baterista Richard Montano, de Florianópolis; o também baterista Rafael Vieira, de Joinville; e o percussionista Jean Juarez Ferreira, o Jean Boca, de Jaraguá do Sul. Além desses, outros convidados também enriquecerão a jam session com seus instrumentos e saberes. E para receber todos esses convidados, a cantora Lily Blumerants, responsável pelo projeto, tem, como banda de apoio, a Quartzo, com Gustavo Messina (guitarra), Leco Hubbe (teclados), Hamilton Cunha (contrabaixo) e Adalberto Guilherme (bateria).

Se na primeira edição do projeto Jam no MAJ de 2015, o encontro foi de vozes; na segunda, de cordas; e na terceira, de sopros, o encontro agora é de ritmos, com a presença de ‘paticumbuns” variados. Bateristas e percussionistas colocam seus instrumentos a serviço do Jazz., Sem esquecer, no entanto, que percussão e brasilidade formam uma dobradinha quase indissolúvel. Por isso, os convidados também passearão pelos ritmos brasileiros, mesclando gêneros e criando sonoridades ímpares. Richard Montano, Rafael Vieira e Jean Boca são os responsáveis por mostrar toda a força deste naipe de instrumentos, entre bateria e percussão, a serviço do Jazz e de qualquer ritmo que o momento pedir.

O projeto Jam no MAJ, da cantora Lily Blumerants, foi aprovado pelo Mecenato do Simdec/2014. Conta com o patrocínio do Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura (Simdec), da Fundação Cultural de Joinville, e com o apoio do Museu de Arte de Joinville (MAJ).

SERVIÇO

O quê: Jam no MAJ – Encontro de Ritmos – Lily Blumerants recebe Richard Montano (Florianópolis), Rafael Vieira (Joinville) e Jean Juarez Ferreira, o Jean Boca (Jaraguá do Sul)

Quando: Domingo, dia 1º de novembro, às 16 horas

Onde: Jardins do MAJ – Museu de Arte de Joinville

Quanto: Evento gratuito

Mais informações: Lily Blumerants – 9995-1772 / lily_jazz@hotmail.com

OS CONVIDADOS

 

Divulgação/ND

Richard Montano

RICHARD MONTANO (BATERIA) – Natural de Florianópolis, o baterista Richard Montano possui larga atuação nos mais diversos estilos. Iniciou-se no instrumento em 1990. De 1995 a 1998 estudou com o reconhecido baterista gaúcho Kiko Freitas (João Bosco) e em 1999 cursou ritmos brasileiros, com o conceituado baterista Nenê (Hermeto Pascoal), na ULM – Universidade Livre de Música Tom Jobim. Em Florianópolis, atuou ao lado de artistas de diversos estilos musicais e de nomes representativos de vários estados como: Jorginho Trumpete (RS), Guinha Ramirez (RS), Glauco Sölter (PR), Paulo Dorfmann (RS), além de ter gravado com artistas catarinenses como Valdir Agostinho, Janet & Joel Brito e Chiquinho Alencar. A partir de 1999, residindo em São Paulo, começou a ministrar aulas de bateria no Núcleo de Ensino Musical Auê (atual Companhia das Cordas) e no Centro Musical Santa Cruz ao lado dos bateristas Nenê e Lael Medina.  Desde então, atuou em shows ao lado de artistas nacionais e internacionais como Carlos Navas, Rosa Maria Collin, Patrícia Marx, Leandro Bonfim, Babi (atriz e apresentadora de TV), Sindicato BR, Clara Moreno, Beto Bertrami, Thiago do Espírito Santo, Letícia Oliveira, Nuno Mindelis, J.J. Jackson (EUA), Deacon Jones (EUA), Mathew Robinson (EUA), Marcos Otaviano, Flávio Guimarães, Rastapé, Biba Chuqui, Iris Salvagnini, Adriana Peixoto, Thiago Cerveira, Renato Consorte, Izy Gordon, Graça Cunha e Anaí Rosa, entre outros.

Com o guitarrista Nuno Mindelis, fez apresentações nas principais casas noturnas de São Paulo, em várias capitais e cidades do Brasil. Além disso, participou de programas de TV e de vários Festivais de Jazz e Blues, dentre eles o 22nd Edition of the Festival International de Jazz de Montréal (Canadá – julho/01). Lançado em 2004 (Brasil, Europa e EUA), Twelve Hours, álbum do guitarrista conta com a participação integral do baterista, que resultou em apresentações na Europa, em outubro/04, passando pela França, Bélgica e Holanda. Em 2007, com o cantor J.J. Jackson, participou de mais um tour pelo Brasil e várias cidades de Portugal. Em 2011 participou da tour “Tudo Azul”, com Carlos Malta Quarteto, por seis cidades do norte e nordeste, com shows e oficinas, realizado pela Diversão e Arte com patrocínio do Ministério da Cultura e da Petrobrás, por meio da Lei de Incentivo à Cultura.

Iniciou o ano de 2013 com o lançamento do DVD “A Night at Maxwell St.” de Amleto Barboni, e seguiu com o show “Tudo Azul”, de Carlos Malta Quarteto, em Lisboa, e Zeka Lopes, em Nantes, na França. Na edição de Setembro/2013 da Revista Modern Drummer foi publicada matéria sobre sua trajetória musical.

Em 2014, Richard retornou a sua cidade natal, Florianópolis, para fixar residência e voltar a trabalhar com artistas e músicos catarinenses em shows e gravações. Em setembro, participou da décima edição do espetáculo Acústico Brognoli (Sons do Mundo) ao lado de artistas como Hermeto Pascoal, Renato Borghetti, Alegre Correa, Guinha Ramires, Dudu Fileti entre outros.

 

Divulgação/ND

Rafael Vieira

RAFAEL VIEIRA (BATERIA) – Formado em Música pela UDESC, o músico baterista joinvilense Rafael Vieira teve os primeiros contatos com a música já na infância, aos 10 anos, por influência do seu pai Fábio Vieira, que toca guitarra e contrabaixo. Seu interesse pela música o levou a ter aulas com André Steuernagel, Adriano Cidral, Mauro Uhlig e Endrigo Bettega.

Participou de oficinas e master classes na área de bateria e produção musical com grandes nomes do cenário brasileiro como Zé Eduardo Nazário, Edu Ribeiro, Mestre Dinho Gonçalves, Oscar Bolão, Kiko Freitas, Marcio Bahia, Tom Sabóia, Ricardo Vidal, Lauro Rímoli, Jota Moraes, Arismar do Espírito Santo, Sergio de Carvalho, Chico Santana, entre outros. Aos 15 anos, participou da gravação do CD do americano Rex Johnson. Fez parte dos projetos; Orquestra da Sociesc, Espaço da Criança, Força Jovem (ensino de música para crianças carentes), Green Belly e Sultana.

Foi baterista de uma das melhores bandas montadas em Joinville, os Depira, desde 2004. É professor de bateria na Casa da Cultura de Joinville desde 2008, e na escola de música Villa Lobos desde 2009. Entre aos anos de 2009 e 2013, integrou o grupo Dona Chica, de música brasileira autoral, cujo trabalho foi registrado em CD e videoclipe. Integrou, também, o Semba Trio, grupo que apresentou repertório de música brasileira por diversos bares da região, ao lado de Rafaela Ventz, no vocal, e Jackson Araújo, no teclado. Atualmente, Rafael Vieira é baterista da Joinville Jazz Big Band. Além de acompanhar diversos artistas em show regionais, trabalha como baterista free lancer em estúdios de gravação. Paralelo a seus projetos faz shows e apresentações com a Camerata Dona Francisca, Coral Ciser, Celso Blues Boy, Circus Musicalis, Banda na Escola (projeto para crianças do município de Itajaí), Grupo de Percussão de Itajaí entre outros.

Atualmente divide seu tempo entre Joinville e Itajaí aonde estuda no Conservatório de Música Popular da cidade e na Universidade do Vale do Itajaí – UNIVALI.

 

Divulgação/ND

Jean Boca

JEAN JUAREZ FERREIRA, “JEAN BOCA” (BATERIA E PERCUSSÃO) – Jean Juarez Ferreira, conhecido pelos amantes da boa música como Jean Boca, é um percussionista raro. Capaz de transformar qualquer objeto em um produtor de sons percussivos. Aos 24 anos, caminha ao lado da música desde os 14. Natural de Jaraguá do Sul iniciou seus estudos musicais em 2002 na Banda Marcial Jangada, em Jaraguá do Sul, nesta permaneceu até 2005. Após esse período iniciou intensa atividade em Bandas Marciais do estado, entre elas a Banda Municipal de Schroeder e também a Banda Municipal de Itajaí, com a qual participou de turnê no Chile, em 2006 e 2007. Integrou também a Orquestra Filarmônica da SCAR. A partir de 2006, iniciou os estudos em percussão popular brasileira no projeto Música Para Todos, em Jaraguá do Sul. Em 2008 foi contemplado com uma bolsa para o estudo direcionado à percussão sinfônica, na EMBAP/Curitiba, com o professor Carmo Bartoloni. Neste mesmo ano, de forma autodidata, iniciou atividades utilizando-se da bateria e dedicou-se principalmente, ao estudo da música popular.

Por conta do seu estilo inconfundível e alta qualidade musical, este jovem percussionista já tem boa experiência internacional, acompanhando corais, bandas e músicos em turnês pela América do Sul e Europa. Teve presença contínua no Festival de Música de Santa Catarina, o FEMUSC, realizado Jaraguá do Sul. Entre 2011 e 2013, participou como convidado para o evento. Sempre buscando aperfeiçoamento, desde 2004 participa regularmente de oficinas e workshops com renomados profissionais e professores, brasileiros e estrangeiros. Entre 2005 e 2011, atuou como professor em diversas instituições da região de Jaraguá do Sul. Como educador desenvolveu atividades na Casa da Cultura de Guaramirim e na Banda Municipal de Schroeder. Participou também dos projetos “Aluno Músico” e “Ao som da Sucata”, ambos aprovados pela Fundação Municipal de Cultura de Jaraguá do Sul, respectivamente em 2009 e 2010

Jean Boca fez parte do CD “Quintal”, em parceria com outro grande expoente da música jaraguaense, o guitarrista Samuca Chiodini, e com Renato Rangel. Participou do lançamento do CD “Um só”, de Tiago Daniel; da gravação dos DVDs “Canções e lendas do norte a sul do Brasil” e “Bossa Nova”, com o Coral da Unerj (Centro Universitário de Jaraguá do Sul); da gravação do CD e do DVD autoral “Unu”, do compositor Carlos Cidade; Foi co-criador do grupo Zamba, de música popular, ao lado de Pablo Varela, também em Jaraguá do Sul. Ativo e bastante solicitado para acompanhar grandes músicos da região, Jean Boca ganhou mundo, viajou, participou de inúmeros projetos onde deixou registrada a sua marca percussiva. 

Por sua conta, criou em 2014 o projeto Casa Sonora, onde com o objetivo de movimentar a cena cultural da sua cidade, levando para um ambiente informal e próximo ao público: a varanda da sua casa, músicos convidados, parceiros e amigos, entre eles Ana Paula da Silva, François Muleka, Marcos Archeti. Alegre Correa,Tatiana Cobbet, Marco liva, Felixfonica, Luis Canela, Sergio Lamarca. Em 2014, mais de 200 pessoas prestigiaram as quatro edições, realizadas em quatro finais de semana seguidos. Por solicitação do público, o projeto foi reeditado em 2015, nos mesmos moldes do primeiro.

Atualmente cursa o Bacharelado em música pela Univalie atua com Felixfonica, Ana Paula da Silva, François Muleka e Samuca Chiodini Trio.

 

 

O PROJETO

O projeto Jam no MAJ, da cantora Lily Blumerants, foi aprovado pelo Mecenato do Simdec/2014. Este ano, serão cinco edições, sempre aos domingos, cada uma com uma temática específica. Na primeira edição de 2015, Lily promoveu um “Encontro de Vozes”. O segundo momento trouxe o Encontro de Cordas. Neste domingo, 4 de outubro, o Encontro de Sopros marca a terceira edição de 2015. Ainda serão realizadas mais duas edições, o Encontro de Ritmos, em novembro, e uma big Jam das escolas de Música, em dezembro.

O projeto Jam no MAJ tem o formato de uma Jam Session, com a organização de eventos conduzidos por Lily Blumerants e convidados especiais diferenciados a cada edição. O Jam no MAJ é programado para acontecer sempre aos domingos, a partir de 16 horas, sob uma tenda de 10m2 instalada no jardim frontal do Museu de Arte de Joinville, onde os músicos ocupam uma parte do espaço, e o público, outra parte, além de todo o entorno do Museu.

A proposta é fomentar, difundir e promover a cultura do Jazz como linguagem musical, além de fortalecer a atuação profissional de músicos dedicados ao gênero em Joinville e região. Os músicos convidados são profissionais com formação acadêmica, na sua maioria, considerados os mais expressivos e atuantes na área do jazz, bossa nova e música instrumental da cidade de Joinville e convidados especiais vindo de outras regiões. É bem vinda a participação voluntária de instrumentistas que venham compartilhar das improvisações durante os eventos, trocando experiências e dialogando através da linguagem criativa e espontânea do jazz, com sotaque brasileiro.

* Com informações da assessoria de imprensa

 

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Diversão

Loading...