Na Bronca

Clayton Ramos/ND

Londres ND Coluna

Na bronca 

A torcida brasileira está decepcionada com o desempenho do país em Londres. Sheila Blanco e seu filho Alan são cariocas e estão preocupados com o futuro do nosso esporte. “É triste ver gente com tanto talento e fazendo esse papelão”, disse Sheila. E ela tem razão. A campanha é vergonhosa nestes Jogos Olímpicos. Pouquíssimas medalhas até agora. Bom, resta saber se a presidente Dilma Rousseff vai fazer ou não uma limpa no COB, Comitê Olímpico Brasileiro, após a competição. Isso por que a Olimpíada de 2016 será no Rio de Janeiro. E claro, como país sede, não podemos repetir o papelão. Está comprovado que esporte não se faz só com organização, mas também investimento.

Em movimento 

Uma coisa que é comum em Londres, mas que seria difícil de ocorrer no Brasil (pelo menos não lembro de ter visto por aí), acontece nos metrôs. Como a correria é grande no dia a dia, as meninas passam a maquiagem dentro do trem. Acordam cedo, tomam banho (eu presumo) e deixam para dar aquele “trato” no visual com o trem em movimento. É fácil percebêlas retocando os olhos, penteando o cabelo, aplicando o ‘pó’ no rosto e também o batom com a maior desenvoltura. Tudo isso em poucos minutos. Conheço umas brazucas que precisariam de uma corrida de Florianópolis até Joinville para finalizar o make up.

Top 10 

Completamos três semanas na Terra da Rainha, buscando informações, imagens e curiosidades para o telespectador da RICTV e Record News, para os leitores do jornal Notícias do Dia e para os ouvintes da Rádio Record AM 1470. Durante nossa missão, temos nos deparado com cada figura rara por aqui! Entre atletas, jornalistas, artistas, pessoas comuns, brasileiros e estrangeiros, o saldo, vale dizer, é bem positivo. Mas teve gente (como a gente) se achando mais real que a própria Elizabeth II . O ‘Top-10’ dos malas de Londres está quase completo, só restam duas vagas.

Exemplo 

Estivemos no fim de semana no aeroporto de Heatrhow, onde marcamos um encontro com uma atleta catarinense que acabou nos dando o cano. Beleza, faz parte da profissão de jornalista. Para a nossa surpresa, a viagem (uma hora de duração) não foi perdida. Encontramos por lá o atleta brasileiro de taekwondo Diogo Silva, que estava desembarcando para os Jogos. A modalidade começa no dia 8. Ele atendeu a reportagem da RICTV com uma simplicidade e uma inteligência que valem nota. Medalha de ouro no Pan-americano do Rio de Janeiro em 2007 e quarto lugar em Atenas 2004, Diogo disse estar pronto para o desafio olímpico. Quem venham os adversários.

Agora entendi 

Nos últimos dias andando de metrô pra todos os lados, algo me chamou atenção. Em nenhuma estação é possível encontrar cestas de lixo. Ontem, conversando com pessoas que moram em Londres, veio a explicação. Por causa dos atentados terroristas de 2005, as cestas foram retiradas para evitar que bombas sejam colocadas neste espaço. E faz sentido. Afinal, por ser um forte aliado dos EUA nas últimas guerras, o país vive sob vigilância e prevenção intensa.

Voltar? 

Ontem, no trajeto entre Willsden Grenn e Picadilly Circus, conversava com uma senhora brasileira chamada Edilaine da Silva sobre o tempo que ela morava em Londres. No meio do papo bem descontraído fiz uma pergunta bem clássica: se ela não tinha vontade de voltar para o Brasil. A resposta foi a mesma de todos até agora. “Voltar pra quê. Aqui tem tudo. Segurança, transporte. Não é aquela bagunça que é lá”, concluiu. Acho que ela não está errada.