Santa Catarina no mapa da tecnologia

Curso Técnico em Programação de Jogos Digitais é uma das opções para formar profissionais na área.

O mercado brasileiro de jogos digitais está em ascensão. Dados divulgados
recentemente pela Newzoo mostram que há dois anos o país contava com cerca de 66,3 milhões de jogadores e que os negócios nessa área movimentaram em torno de quase 5 bilhões de reais. Isso fez com o que o Brasil se tornasse o número um entre os países latino americanos com o maior número de gamers. Os valores mais acessíveis e o aumento na velocidade dos pacotes de internet, além da popularização dos smartphones e a demanda de jogos que podem ser acessados via telefone são alguns dos fatores para essa colocação no ranking. Em relação à criação e produção de games, Santa Catarina ocupa a sétima posição no país no número de empresas de desenvolvimento de jogos digitais, com 21 delas atuando no estado. As informações são do Segundo Censo da Indústria Brasileira de Jogos Digitais do Ministério da Cultura, realizado em 2018 que também aponta para o
número reduzido de profissionais na área: há dois anos, apenas 152 deles estavam registrados no estado. Pensando em atender a demanda por futuros
desenvolvedores, o Sesc e o Senac uniram suas forças no que diz respeito à
educação e qualificação profissional e criaram o curso técnico em programação de Jogos Digitais Integrado ao Ensino Médio.
A primeira turma está em andamento nas unidades das instituições em Palhoça e durante três anos, os alunos são os protagonistas da sua formação. Também são incentivados desde o início a terem autonomia para participar das aulas analisando casos e problemas reais. As disciplinas do ensino médio fazem parte da grade curricular e as que serão mais utilizadas na vida profissional dos futuros programadores, como Português, Matemática e Inglês têm carga horária quase três vezes maior do que nas escolas tradicionais.
ALUNOS QUE FAZEM ACONTECER
Para oferecer essa aprendizagem imersiva e mais completa, o curso utiliza uma abordagem no ensino conhecida como Metodologia Ativa. Juliano Vieira, analista estadual do eixo de TI do Senac SC explica que “ a ideia principal do ensino médio integrado com o ensino técnico é quebrarmos alguns paradigmas da escola regular, utilizando desta metodologia distinta onde se trabalha basicamente com conceitos e não com notas. O aluno vai realmente aprender a fazer, colocando a ‘mão na massa’ e mostrando o que aprendeu”. A gestora escolar do Sesc Palhoça, Fernanda da Rosa Braga, explica que os estudantes “desenvolvem sua formação humana, sua visão crítica de mundo e de aprendizado. Utilizamos aqui o incentivo colaborativo em nossa prática pedagógica diária dentro das atividades curriculares”.
FOCO NO MERCADO DE TRABALHO
A aluna Isabela Alborghetti, de 16 anos, comenta que depois de passar por dez
escolas, se interessou pela metodologia utilizada no curso integrado, “que é o grande diferencial dessa escola. Faço questão de estudar aqui por isso. Aprendo diariamente que o fato de não tirar dez todo dia, não quer dizer que eu não tenha um bom conhecimento. Eu tenho segurança e sei que estarei bem no mercado de trabalho”. Para aproximar alunos do mercado de trabalho, em agosto as unidades do Senac da Grande Florianópolis, Blumenau e Chapecó estão confirmadas para receberem o Game Jam, uma maratona de desenvolvimento de jogos digitais em parceria com o SC Games – projeto do governo do estado que pretende fomentar o mercado estadual side games.

+

Sistema Fecomércio SC