Com foco em mitigar efeitos, BRDE aportou R$ 851 milhões para fortalecer a região Sul

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul alcançou a cifra de R$ 851,7 milhões em contratos de financiamento em plena crise

A partir de um fundo constituído de recursos próprios com o propósito de fortalecer as atividades de empresas, produtores rurais e cooperativas, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) alcançou a cifra de R$ 851,7 milhões em contratos de financiamento em plena crise provocada pela pandemia de Covid-19.

Através do programa BRDE Promove Sul, o banco procurou fomentar o desenvolvimento produtivo, sustentável e social nos três estados da região Sul a partir de prioridades identificadas pelos governos de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná.

“De um total de R$ 900 milhões disponibilizados, conseguimos em um ano de programa contratar 94% do fundo, o que reforça o papel estratégico do banco neste momento de tantos desafios”, destacou a diretora-presidente, Leany Lemos. O BRDE Promove Sul destinou R$ 300 milhões a cada um dos três estados, com oferta de crédito de longo prazo para aumentar a capacidade de investimento dos empreendedores e, desta maneira, gerar renda e manter empregos.

O Diretor financeiro do BRDE, Marcelo Haendchen Dutra, acredita que os recursos chegaram ao mercado num momento decisivo. “Sabemos que havia um ambiente de retomada, mas também o início de uma crise provocada pela pandemia. Era o momento em que os empreendedores precisavam de suporte financeiro para manter ou ampliar seus negócios. Por isso, alinhado as diretrizes demandadas pelo governador Carlos Moisés, o BRDE não mediu esforços para ser um parceiro, garantindo recursos do próprio caixa”, reforça.

Do montante destinado para Santa Catarina, foram contratados R$ 268,3 milhões até o momento. O programa priorizou financiar iniciativas de modernização e expansão da atividade produtiva (investimentos em ativos fixos e capital de giro associado) e de inovação ou atualização tecnológica, além de projetos para ampliação da capacidade de armazenagem de grãos no estado, principalmente em apoio às cooperativas. Outro foco do BRDE Promove Sul é o apoio a projetos sustentáveis com foco em geração de energias renováveis, tratamento de efluentes e de dejetos, compostagem e reciclagem, captação, armazenamento e distribuição de água.

Do montante destinado para Santa Catarina, foram contratados R$ 268,3 milhões até o momento. O programa priorizou financiar iniciativas de modernização e expansão da atividade produtiva (investimentos em ativos fixos e capital de giro associado) e de inovação ou atualização tecnológica, além de projetos para ampliação da capacidade de armazenagem de grãos no estado, principalmente em apoio às cooperativas. Outro foco do BRDE Promove Sul é o apoio a projetos sustentáveis com foco em geração de energias renováveis, tratamento de efluentes e de dejetos, compostagem e reciclagem, captação, armazenamento e distribuição de água.

“Essa linha emergencial está operando há quase um ano buscando socorrer aqueles setores da economia mais afetados pela crise sanitária e apoiar os projetos para uma retomada no pós-pandemia. Neste período, as empresas catarinenses já contrataram R$ 92,4 milhões através do programa BRDE Recupera Sul, destaca o diretor de Acompanhamento de Recuperação de Crédito, Vladimir Arthur Fey.

Ao longo do ano passado, o banco atingiu resultados históricos. Com um crescimento nominal na ordem de 34% na comparação ao ano anterior, as operações de financiamento para apoiar diferentes setores da economia atingiram R$ 3,315 bilhões. Nesse período, foram firmados 4.375 contratos nos três estados do Sul onde o banco atua.

+

Economia Brasileira

Loading...