Com reajuste de 20%, saiba quando Auxílio Brasil começará a ser distribuído

Pronunciamento foi feito nesta quarta-feira (20) pelo ministro da Cidadania; até o momento, governo estima abranger 17 milhões de famílias com o auxílio

O programa Auxílio Brasil, sucessor do Bolsa Família, começará a ser pago a partir de novembro, com um reajuste de 20% no valor de seus benefícios. O anúncio foi feito pelo ministro da Cidadania, João Roma, nesta quarta-feira (20), no Palácio do Planalto.

Anúncio sobre pagamento do Auxílio Brasil será feito a partir de novembro – Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil/Divulgação/NDAnúncio sobre pagamento do Auxílio Brasil será feito a partir de novembro – Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil/Divulgação/ND

“O programa permanente tem um tíquete médio, portanto, o valor do benefício varia de acordo com a composição de cada família. Então, existem famílias que estão recebendo menos de R$ 100, e tem outras que estão recebendo até mais de R$ 500. Esse programa terá um reajuste de 20%”, explicou.

O aumento, conforme explicação do ministro, não será sobre o valor unitário do benefício, mas sim sobre a execução de todo o Auxílio Brasil, que começa a ser pago no mês de novembro. O início do pagamento irá coincidir com o fim do auxílio emergencial.

Ao todo, o último programa atendeu mais de 68 milhões de famílias com um orçamento de R$ 379 bilhões durante a pandemia.

Valor mínimo do Auxílio Brasil

O novo programa pagará um valor mínimo de R$ 400. A pedido do presidente Jair Bolsonaro, todas as famílias classificadas em situação de pobreza e de pobreza extrema, vinculadas ao Cadastro Único dos Programas Sociais e ao Sistema Único de Assistência Social (SUAS), deverão receber o auxílio.

Para atender a demanda, João Roma informou que o governo vai estruturar um programa transitório de transferência de renda, que deve durar até dezembro do ano que vem, para que nenhuma família receba menos de R$ 400.

O ministro fez questão de dizer que o governo está em busca de uma saída para financiar o novo programa dentro do orçamento previsto para o ano que vem.

“Não estamos aventando que o pagamento desses benefícios se dê através de créditos extraordinários. Estamos buscando, dentro do governo, todas as possibilidades para que o atendimento desses brasileiros necessitados sigam também de mãos dadas com a responsabilidade fiscal”.

Beneficiários

Atualmente, mais de 2 milhões de famílias estão na fila para receber o benefício do Bolsa Família. Segundo João Rosa, com o Auxílio Brasil, a lista será zerada. “Hoje, o programa permanente contempla 14,7 milhões de famílias, e pretendemos chegar a quase 17 milhões de famílias”, prometeu João Roma.

A cerimônia de pronunciamento pode ser conferida aqui:

*Com informações da Agência Brasil

+

Economia Brasileira

Loading...