Empreendedora de Florianópolis conta por que vendeu healthtech para gigante farmacêutica

Cuco Health, pioneira em cuidado digital no Brasil, criada pela manezinha Lívia Cunha, formada na UFSC, foi adquirida pela RD (Raia Drogasil) em agosto

Uma empresária manezinha, agora com 29 anos, foi apontada em 2019, pela Forbes, como uma das jovens de até 30 anos que estão transformando o setor em que atuam. Em 2016, ela fundou a Cuco Health, startup pioneira em cuidado digital adquirida em 10 de agosto pela RD (Raia Drogasil). Seu nome: Lívia Cunha.

Os líderes da healthtech, Lívia Cunha, Fabien Barbosa, Davi Comenale e Fernando Villas Boas, celebrando a assinatura online do contrato de venda da empresa – Foto: Divulgação/NDOs líderes da healthtech, Lívia Cunha, Fabien Barbosa, Davi Comenale e Fernando Villas Boas, celebrando a assinatura online do contrato de venda da empresa – Foto: Divulgação/ND

“Juntos, teremos a oportunidade de sair de milhares de vidas, para milhões”, disse sobre a mudança de ventos que a transação com a gigante farmacêutica vai trazer.

“A Cuco é minha vida. Renunciei muita coisa e nunca tive o sentimento de que iria vendê-la, mas entendi que, para entregar o valor que queria aos pacientes e a transformação do setor de Saúde no Brasil, precisava me unir a um grande player de mercado. Dinheiro de fundo não resolveria, mas sim o parceiro certo”, afirmou Lívia sobre a venda da empresa.

A transação precisa ser aprovada pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). Se isso ocorrer, Lívia segue à frente da Cuco, mas deixa de ser dona da empresa e vira diretora executiva da RD. “O sonho só se multiplica”, declarou.

Em comunicado informando ao mercado a celebração do Contrato de Compra e Venda de Quotas para adquirir 100% da Cuco Health, a RD disse: “a tecnologia e expertise desenvolvidas pela Cuco serão fundamentais para apoiar os nossos clientes para que possam aderir de forma plena ao tratamento prescrito pelo seu médico.”

A veia empreendedora

Filha de um casal empreendedor, que fundou hospitais em Florianópolis, Lívia queria empreender desde quando vendia gibi no consultório da família: “Entrei na faculdade com a certeza de fazer meu próprio negócio. Por isso, escolhi administração”, contou.

Lívia Cunha, criadora da healthtech Cuco HealthA empreendedora de Florianópolis, Lívia Cunha, criadora da Cuco Health, conta por que vendeu sua healthtech – Foto: Divulgação/ND

Formada na UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), realizou a meta assim que adquiriu o diploma. “Comecei [a Cuco] no Trabalho de Conclusão de Curso, mas tive momentos importantes na federal, por exemplo, participar da empresa júnior, onde desenvolvi habilidades de liderança, empreendedorismo e responsabilidade”, ressaltou.

Sobre os professores que mais a incentivaram, Lívia destacou Alexandre Moraes e Andressa Pacheco. E um aprendizado adquirido na sede da Apple, em Cupertino, nos EUA, foi determinante.

Lívia Cunha, criadora da healthtech adquirida pela RD, na sede da ApplePrimeira mulher na América Latina a participar de um programa de desenvolvimento de empreendedores na Apple, Lívia (E) tirou grande lição dessa experiência – Foto: Divulgação/ND

“O jeito Apple se resume ao usuário em primeiro lugar, no centro. Voltamos com um aprendizado muito grande em se colocar no sapato do usuário para poder criar nossas soluções para ele. O usuário no centro é super importante em qualquer business, mas em saúde tem apelo especial e a Apple deixou isso muito forte na nossa cabeça”.

O que é a Cuco Health

Segundo Lívia, a Cuco nasceu voltada ao usuário final e, ao longo dos anos, mudou seu modelo de negócios: “Tínhamos uma tese lá no início que foi só uma tese, quando tentamos implementar, não funcionou. Tivemos que remodelar a empresa quando já estava no mercado e foi um desafio bem grande”.

Visitando a clínica do pai, Lívia percebeu que, ao sair do consultório, o paciente tem todas as informações para seguir o tratamento médico corretamente e controlar a saúde, mas isso não acontece:

“O paciente acaba não seguindo o tratamento da forma correta, não entende a importância disso e perde o contato com os profissionais de saúde, que não sabem se a evolução é boa. Comecei a entender que não tinha como médicos e enfermeiras irem para casa cuidar desse paciente, mas alguém precisava fazer isso. Foi aí que a Cuco surgiu”.

Líderes da healthtech criada em FlorianópolisDavi Comenale, head de integração da healthtech criada em Floripa, Fernando Villas Boas, head de Tecnologia, Lívia Cunha, CEO, e Fabien Barbosa, head de produtos – Foto: Divulgação/ND

A Cuco Health é pioneira no Brasil em Digital Therapeutics, que entrega experiência de serviço digital, ou seja, cuida do paciente digitalmente e gera dados para o time de saúde continuar o trabalho.

Um paciente com epilepsia, por exemplo, pode registrar suas crises e usar o botão de emergência caso esteja sozinho. Quando ele aperta o botão, a Cuco envia a localização para um familiar, além de capturar dados sobre o tratamento do paciente e a evolução da sua saúde mental, para posterior avaliação médica.

Criada em Florianópolis, transferida para São Paulo

Criada em Florianópolis, a Cuco foi transferida para São Paulo em 2017. Atualmente, a empresa tem cerca de 20 funcionários, mas vai aumentar após a negociação com a Raia. Por conta da pandemia, a empresa opera em home office e consegue contratar pessoas em todo Brasil.

Para Lívia, mudar a Ilha da Magia para São Paulo não foi um problema: “Meu coração é de Floripa, um lugar fantástico para viver, mas a minha dinâmica de trabalho funciona muito bem em São Paulo”. Dedicada ao trabalho das 8h às 21h, está tentando deixar as noites livres. Para relaxar, recorre à terapeuta, às atividades físicas e aos vinhos.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Economia Brasileira

Loading...