Falta de aço já compromete cronograma de obras em Santa Catarina

Segundo o setor da construção civil, falta do aço prejudica o cronograma de entrega e torna o produto mais caro nas obras

A falta de aço tem prejudicado o setor de construção civil em Santa Catarina. Obras estão tendo o cronograma afetado e a falta também encarece o preço do material.

O engenheiro civil Raphael Lima Sanchez está construindo três prédios em Joinville e dois já estão sendo afetados pela falta de insumo. “A gente tem pedidos junto à usina de aço desde novembro do ano passado e as últimas bitolas que faltam estão previstas para chegarem em abril”, conta.

Falta de aço já causa prejuízo no cronograma de obras em Santa Catarina – Foto: Dênio Simões/ Agência BrasíliaFalta de aço já causa prejuízo no cronograma de obras em Santa Catarina – Foto: Dênio Simões/ Agência Brasília

Além disso, a falta de aço também tem como consequência a escassez de outros produtos feitos com a matéria-prima. “Também tivemos problema com entrega de tintas por falta de embalagem e de pregos. Há atraso ou falta de fornecedor”, destaca Sanchez.

O problema já repercute nas obras: segundo o engenheiro, em uma das construções o atraso no cronograma já chega a um mês.

Falta de aço ocorre em todo o país

De acordo com um levantamento da Câmara Brasileira da Indústria da Construção com 206 empresas, 84% delas sofre com o desabastecimento do aço no país.

“Impacta em todos os setores da economia, a falta é generalizada e também é um problema de entrega do material. As usinas prometem entregar em 30, 60 dias e estão atrasando o pedido. Outros materiais, como tubos, cerâmica, cabos de aço, também são afetados, embora com problema menor que o do aço”, diz Bruno Cauduro, presidente do Sinduscon (Sindicato Indústria Construção Civil de Joinville).

Além da falta do produto, o setor também viu o preço do material aumentar nos últimos meses. “O aço praticamente dobrou de preço desde o início da pandemia. A cada 15 dias, a gente recebe tabelas novas com aumento de preço e, mesmo assim, não tem como entregar. A gente ainda não consegue calcular o prejuízo, mas é muito grande. E não só para a construção civil, mas para toda a economia do país”, ressalta Cauduro.

Diante do problema, a importação tem sido uma alternativa. Sindicatos de todo o país se uniram para comprar 14 mil toneladas de aço da Turquia para abastecer nove estados, inclusive Santa Catarina. A previsão é que o material chegue em maio.

*Com informações de Maikon Costa, repórter na NDTV Joinville

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Economia Brasileira