IBGE confirma ao STF que precisa de R$ 2,3 bi para realizar o Censo

Instituto atendeu pedido do STF para informar valor total necessário, após governo do Maranhão alertar sobre proposta menor no Orçamento da União

Atendendo ao pedido do ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) informou nesta sexta-feira (1º) que a realização do Censo Demográfico de 2022 necessitará de R$ 2,292 bilhões em recursos.

O custo da realização do Censo voltou à pauta após o STF ter sido informado pelo Estado do Maranhão de que o governo federal estaria descumprindo a decisão da Corte, que estabeleceu que a pesquisa deve ser feita em 2022.

Censo 2022 vai custar mais de R$ 2,2 bilhões, diz IBGE – Foto: Simone Mello/Agência IBGE NotíciasCenso 2022 vai custar mais de R$ 2,2 bilhões, diz IBGE – Foto: Simone Mello/Agência IBGE Notícias

O governo do Maranhão alertou que a proposta de Orçamento da União prevê R$ 2 bilhões para o Censo, o que seria insuficiente.

Por conta disso, o ministro Gilmar Mendes determinou que o IBGE informasse o valor necessário para a pesquisa.

O ofício com o valor do Censo foi enviado para a Procuradoria-Geral Federal (PGF), que representa o IBGE junto ao STF, e está datado de 28 de setembro. O documento reafirma uma nota técnica da Coordenação Operacional dos Censos (COC), que demonstra a “absoluta necessidade dos recursos demandados”.

Do valor total necessário para realizar o Censo de 2022, R$ 1,699 bilhão será destinado ao pagamento de pessoal; R$ 219 milhões para custeio de deslocamento e locações; R$ 152 milhões spara gastos com tecnologia e R$ 60 milhões para publicidade.

“O IBGE espera que o Executivo e o Legislativo, em conjunto, garantam os recursos necessários para cumprir sua missão institucional de realizar o Censo em 2022, conforme determinado pelo Judiciário”, informou o instituto, em nota divulgada nesta sexta-feira (1º).

+

Economia Brasileira

Loading...