Luciano Hang segue na lista de bilionários da Forbes após perder R$ 5 bilhões

Renda do empresário catarinense caiu de US$ 3,6 bilhões (R$ 20,2 bilhões) para US$ 2,7 bilhões, segundo a nova edição do ranking da revista

O empresário Luciano Hang, de 58 anos, fundador e proprietário da rede de lojas Havan, é a pessoa mais rica de Santa Catarina, segundo revela a lista de bilionários da Forbes de 2021, divulgada nesta terça-feira (6). Hang ocupa a posição 1.174 posição no ranking mundial.

Luciano Hang aparece na 1.174º posição de bilionários no ranking mundialLuciano Hang aparece na 1.174º posição de bilionários no ranking mundial – Foto: Divulgação/ND

A renda do empresário, contudo, caiu de US$ 3,6 bilhões (R$ 20,2 bilhões) para US$ 2,7 bilhões (R$ 15,1 bilhões) em comparação com o ano anterior. Natural de Brusque, Hang apareceu pela primeira vez na lista de bilionários em 2019.

Segundo a revista, os brasileiros listados detêm um patrimônio conjunto de US$ 219,1 bilhões, contra US$ 127,1 bilhões do ano passado. A lista aumentou de 45 para 65  bilionários no Brasil neste ano.

Nesta edição, a Forbes norte-americana considerou o país um domicílio dos bilionários. Por este motivo, alguns brasileiros aparecem registrados em outros países. No mundo, quase 500 pessoas entraram para o ranking último ano.

Novidades

Um dos recém-chegados é o cofundador do Nubank David Vélez, com US$ 5,2 bilhões. O banco digital captou, no fim de janeiro, US$ 400 milhões, o que o colocou entre as cinco maiores instituições financeiras da América Latina, com uma avaliação de US$ 25 bilhões.

O fundador da XP, Guilherme Benchimol, é outra novidade da Forbes. Há cerca de 15 dias, ele anunciou seu afastamento da presidência-executiva para assumir o conselho da corretora. Com patrimônio estimado em US$ 2,6 bilhões, o executivo está na posição 1.205 da lista bilionária.

André Street e Eduardo de Pontes, cofundadores da processadora de pagamentos Stone, com US$ 2,5 bilhões e US$ 2,4 bilhões, respectivamente, também estreiam no ranking, na 1.249a e 1.299a posições.

+

Economia Brasileira