‘Não é hora de lucrar’, declara Joe Biden sobre preço da gasolina

Presidente do Estados Unidos defendeu estratégia para diminuir os preços recordes da gasolina

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, defendeu nesta quarta-feira (22) sua estratégia para diminuir os preços recordes da gasolina. A ideia é que haja a suspensão por três meses do imposto federal sobre os preços dos combustíveis.

Presidente diz para distribuidores de combustiveis que “não é hora de lucrar” – Foto: Internet/Reprodução/NDPresidente diz para distribuidores de combustiveis que “não é hora de lucrar” – Foto: Internet/Reprodução/ND

Os preços dos combustíveis dispararam e atualmente incomodam os americanos, que aproximam-se das eleições legislativas do meio de mandato. As informações são da AFP (Agence France-Presse):

O democrata declarou na Casa Branca que a suspenção por 90 dias do imposto federal sobre a gasolina, que é de US$ 0,18 dólar (R$ 0,94) por cada galão com 3,78 litros, é possível baixar o preço, dando alívio às famílias. Além disso, ele pediu que o Congresso adote essa medida fiscal, mesmo que sua eficácia seja questionada.

“Sei que esta suspensão fiscal não vai resolver o problema por si só, mas vai dar (…) um pouco de ar”, afirmou  o presidente dos Estados Unidos.

“Não é hora de lucrar”, disse também aos distribuidores, pedindo que repassassem o desconto até o último centavo para os consumidores após uma possível redução de impostos.

Além disso, Biden também pediu às gigantes petrolíferas, com as quais mantém relações tensas, que aumentem sua capacidade de refino e acompanhem as flutuações dos preços do petróleo bruto também para baixo e não apenas quando sobem.

O preço médio do galão de gasolina atingiu o recorde de US$ 4,968 dólares nesta quarta-feira – Foto: Julia Avamotive/Pexels/Divulgação/NDO preço médio do galão de gasolina atingiu o recorde de US$ 4,968 dólares nesta quarta-feira – Foto: Julia Avamotive/Pexels/Divulgação/ND

Há 12 meses o preço médio do galão de gasolina nos Estados Unidos era de US$ 3 (R$ 15,59). Hoje, o custo já atinge seu recorde, chegando a US$ 5 (R$ 25,98).

A alta tem consequências para a economia do país e afeta o índice de aprovação do presidente americano, que atualmente está abaixo de 40%.

A suspensão do imposto federal de US$ 0,18 dólar somada a do imposto sobre diesel de US$ 0,24 (R$ 1,25) por galão, durante a temporada de viagens de verão, deve custar quase US$ 10 bilhões (R$51,95 bilhões) ao fundo de infraestruturas de rodovias, que é normalmente financiado por estes tributos.

Apesar disso, o governo afirma que outras fontes de receita podem compensar o déficit do fundo.

A Casa Branca também pediu aos estados – que impõem diferentes níveis de impostos sobre a gasolina – a eliminação temporária das tarifas ou disponibilização dos mecanismos de compensação aos motoristas.

Alguns estados, como Connecticut e Nova York, já adotaram medidas do tipo. Em média, os estados cobram 30 centavos em impostos por galão de gasolina.

No entanto, de acordo com analistas, 46 dos 50 estados ainda não anunciaram medidas, um deles sendo a Califórnia, lugar onde a gasolina tem os maiores imposto e é a mais cara do país, superando US$ 6 (R$ 31,17) por galão.

Dúvidas

Ao suspender os impostos o presidente assume um risco político, já que era uma medida criticada até mesmo pelo seu próprio campo político.

A secretária de Energia, Jennifer Granholm, se reunirá, nesta quinta-feira (23), com as refinarias para tentar convencê-las a aumentar suas capacidades.

A líder da maioria democrata na Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, rejeitou, na semana passada, que, segundo ela, a medida seria um “show”.

Biden insistiu nesta quarta-feira (22) que o preço da gasolina subiu US$ 2 (R$ 10,39) por galão devido à invasão russa da Ucrânia.

“Poderíamos ter fechado os olhos para as ações mortais de (Vladimir) Putin. O preço da gasolina não teria subido tanto. Acho que seria um erro”, concluiu o presidente.

Os Estados Unidos realizarão eleições legislativas em novembro para renovar parte da composição do Congresso.

+

Economia Internacional

Loading...