João Paulo Messer

Política, economia, bastidores e tudo que envolve o cotidiano e impacta na vida do cidadão de Criciúma e região.


A conta de quem desvia do pedágio

Motoristas gastam uma hora e andam até 60 quilômetros mais para desviar de praça de pedágio no Sul.

A empresa concessionária do trecho Sul da BR-101 e a prefeitura de Forquilhinha estão enfrentando uma situação curiosa desde a instalação de uma praça de pedágio na BR-101, altura do município de Maracajá. Para evitar o pagamento da tarifa que varia de R$ 2,10 a R$ 10,50 motoristas fazem um desvio pelos municípios de Maleiro e Forquilhinha, o que pode aumentar o trajeto em até 60 quilômetros e gastar uma hora a mais nas viagens. Além do tempo, o consumo de combustível e a manutenção do veículo também são majorados. A empresa lembra ainda que ao fazer isso o motorista pode estar abrindo mão dos serviços são contrapartida da tarifa paga.

As praças de pedágio no Sul do Estado obrigam longo caminho para o desvio. – Foto: DivulgaçãoAs praças de pedágio no Sul do Estado obrigam longo caminho para o desvio. – Foto: Divulgação

Por sofrer com problemas no trânsito em virtude do acumulo de caminhões transitando em estradas sem densidade da pista adequada e ocasionando congestionamentos, a prefeitura de Forquilhinha adota medidas obstrutivas à prática. A alternativa foi instalar lombadas físicas, além de aumentar a fiscalização com autuação nos casos de trânsito em local proibido.

A empresa concessionária realizou u levantamento pela equipe de engenharia para mostrar que o desvio não gera economia, pelo contrário. Com estes argumentos inicia uma campanha de conscientização.

Já motoristas que fazem a prática contra argumentam lembrando que ao recolher o ticket com outros motoristas que passam regularmente pela praça de pedágio, incrementam a sua prestação de contas faturando com isso o valor do lanche, café ou mesmo refeição nos casos de veículos maiores. Neste caso desconsideram questões como manutenção, consumo de combustível e de tempo.

Loading...