Agricultura familiar receberá investimento de R$ 300 milhões para enfrentar a seca em SC

Os recursos serão voltados para financiar programas e projetos ligados ao acesso à água para produtores da agricultura familiar

Prejudicada pela estiagem, a agricultura familiar em Santa Catarina vai receber investimentos da ordem de R$ 300 milhões para minimizar os impactos da seca.

Previstos para os próximos três anos, os recursos começam a ser distribuídos ainda em 2021, através do Programa SC Mais Solo e Água.

Por ter as estiagens mais recorrentes em SC, a maior parte dos recursos serão enviados para as regiões Oeste e Extremo Oeste – Foto: Julio Cavalheiro/Secom/ Divulgação/ NDPor ter as estiagens mais recorrentes em SC, a maior parte dos recursos serão enviados para as regiões Oeste e Extremo Oeste – Foto: Julio Cavalheiro/Secom/ Divulgação/ ND

O Programa está aberto para todo o Estado, mas a maior parte do investimento será concentrado no Oeste e Extremo Oeste. Nestas regiões, a procura de recursos por produtores rurais é maior e as estiagens mais recorrentes. Já estão confirmados R$ 26,3 milhões para atender 948 projetos em Xanxerê, Palmitos e Chapecó .

O governador Carlos Moisés, que está em roteiro pelas regiões mais afetadas a partir desta quinta-feira (23), ressaltou ser preciso resiliência e preparo para situações de estiagem ou de muita chuva. Segundo o governo do Estado, a viagem acontece para oficializar o repasse de recursos para famílias das regiões de Xanxerê, Palmitos e Chapecó.

“Os mananciais precisam ser preservados e devemos ter boas práticas de distribuição e de conservação do solo. É o maior programa da história catarinense para preservação de água. E essa água é a garantia de produção, renda, desenvolvimento e geração de emprego em Santa Catarina”, disse Moisés.

O roteiro para divulgar os novos programas para agricultura familiar acontece até sábado (25). Ao todo, 12 cidades receberão a visita, quando serão assinados contrato com os produtores em: Passos Maia, Abelardo Luz, Faxinal dos Guedes, Romelândia, Pinhalzinho, Saltinho, Bom Jesus do Oeste, Serra Alta, Sul Brasil, Modelo, Nova Erechim e Campo Erê.

“Temos muita dificuldade com água e isso piora na época de estiagem”, conta Eduardo Cancelli, um dos beneficiados pelo programa na cidade de Passos Maia. O rebanho do agricultor tem 23 vacas que produzem de oito a mil litros de leite por mês e, segundo ele, o investimento vai ajudar no bem estar dos animais e na renda da família.

Eduardo Cancelli é um dos beneficiados pelo Programa – Foto: Julio Cavalheiro/Secom/ Divulgação/ ND+Eduardo Cancelli é um dos beneficiados pelo Programa – Foto: Julio Cavalheiro/Secom/ Divulgação/ ND+

Em Nova Erechim, Jandir Ferla diz que o Programa SC Mais Solo e Água possibilitou a construção de uma cisterna com capacidade para mil metros cúbicos de água, um estoque para enfrentar os períodos de pouca chuva.

“A cisterna vai resolver uma das nossas maiores dores de cabeça, que é o medo de ficar sem água. Vamos ter um estoque de água e isso dá muito sossego para trabalhar e produzir”.

Programas e financiamentos

Programa SC Mais Solo e Água: oferece financiamentos sem juros para produtores rurais e subvenção de juros de financiamentos contratados junto ao agente bancário. A Secretaria de Agricultura também garante o subsídio entre 50% e 75% nos investimentos de captação, armazenagem e distribuição de água. Assim, o beneficiário vai pagar metade ou um quarto do valor financiado.

Água para Todos: agricultores tem acesso a até R$ 100 mil, sem juros e com quatro anos para pagar. São destinados para investimentos em captação, armazenagem, tratamento e distribuição de água na propriedade rural. Os beneficiários podem ter subsídio do Estado de 50% no valor das parcelas.

Cultivando Água e Protegendo o Solo: financiamentos de até R$ 30 mil, sem juros e com quatro anos para pagar e subsídio de 50%. São recursos para isolamento e recuperação de mata ciliar, proteção e recuperação de nascentes, terraceamento e cobertura do solo.

Investe Agro SC – Água para o Campo: os limites para o programa foram ampliados. São até R$ 150 mil, com a subvenção de juros de até 3% e repasse em uma única parcela para os beneficiários.  Projetos de captação, armazenamento, tratamento e distribuição de água para utilização na propriedade são incentivados pelo programa.

Famílias em vulnerabilidade social e de renda

Estas famílias recebem um limite de R$ 20 mil em financiamento e, quando manter os pagamentos em dia, 75% do valor será subsidiado pelo Estado. Assim, caso o valor máximo seja recebido, o produtor vai pagar apenas R$ 5 mil do total.

+

Economia SC

Loading...