Aluguel de imóveis em Florianópolis e região tem alta procura na pandemia

Imobiliária da capital tem aumento de demanda no mês de agosto. Casas e apartamentos mobiliados são os espaços mais procurados

A partir de hoje o grupo ND passa a apresentar reportagens sobre o mercado imobiliário da capital e região metropolitana. São conteúdos com informações e dicas para quem já aluga, quem pensa em alugar e também pra quem vê o aluguel como forma de investimento. As reportagens são apresentadas em parceria com a Ibagy, referência no mercado de locação de imóveis, e que hoje está completando 50 anos.

Ibagy – Foto/Reprodução: NDTV

Os atrativos da capital catarinense seguem atraindo novos moradores, inclusive na pandemia. Prova disso é a alta procura por aluguel de imóveis na cidade. “O volume mensal de locações já está muito parecido com 2019. Até alguns meses, como o mês de agosto, é superior ao período do ano passado”, diz Leandro Ibagy, diretor da Ibagy Imóveis.

Além de ser um dos destinos turísticos mais desejados, a cidade atrai pela qualidade de vida e pelo polo de negócios, tecnologia e empreendedorismo. Na imobiliária, a busca por espaços têm perfis variados. A consultora de locação Tatiana Coelho diz que a escolha do local está associada com diversos fatores como localização do trabalho, hobbies, transportes e características da família.

Tatiana Coelho – Foto/Reprodução: NDTV

“O cliente que nos procura hoje, nós acabamos entrevistando ele também né para saber mais ou menos o perfil dele para nesse momento poder ajudá-lo. Se tem filho se não tem filho, quantos quartos ele vai precisar, próximo de comércio ou não. Enfim, a gente faz uma pequena entrevista e diante disso nós fizemos uma pesquisa do perfil do imóvel que ele deseja”, diz.

A tecnologia, que já era utilizada para agilizar os processos de locação, assumiu um papel ainda mais importante durante a pandemia. “O cliente pode estar nos enviando tudo via e-mail ou via WhatsApp toda a documentação. Nós temos também o contrato digital em que o cliente não precisa se deslocar e ter que ir para um cartório fazer a assinatura né”, diz. “Então, o cliente visitou, gostou… Em até 24 horas ele tem uma reserva para apresentar a documentação. Cadastro sendo analisado e aprovado, em até 3 dias no máximo ele tem um imóvel locado”, diz Tatiana.

E para facilitar a comprovação de renda, o limite do cartão de crédito passou a ser utilizado como garantia “Você tem um cadastro aprovado sem ter que buscar muitos documentos. Só o limite do cartão, teu RG, CPF, comprovante de residência, uma ficha de cadastro preenchida e nada mais”, diz Tatiana.

“As pessoas procuram na locação uma modalidade de ocupação, de residência temporária com o objetivo de conhecer melhor aquela região, o bairro né. E principalmente atender uma qualidade de vida porque muitas vezes as pessoas escolhem uma região em função do trabalho, em função da escola dos filhos, em função do que o bairro oferece em termos de qualidade de serviços e produtos. Então a locação ela cumpre muito bem esse papel”, diz Leandro Ibagy.

Aluguel comercial na pandemia

A advogada paranaense Amanda Pesarini veio para Santa Catarina há 2 décadas. Hoje, mora em São José e no início do ano realizou um sonho: investiu numa sala comercial num prédio com localização estratégica para os negócios. 

“Aquela busca assim ´meu primeiro escritório’. Então, 3 mulheres trabalhando, pensando na nossa segurança. Queríamos um lugar que tivesse um bom acesso para os nossos clientes, estacionamento próximo”, diz Pesarini. 

Amanda Pesarini – Foto/Reprodução: NDTV

“Viemos ver até um pouco tristes porque nada que a gente via era o que buscavamos né. E quando chegamos nessa sala, é essa. Então gostamos da vista, é bem pertinho do forum, um ponto de referência assim perfeito”.

Busca por casas e espaços maiores na pandemia

A pandemia criou uma dualidade no perfil de locação de imóveis. Enquanto um público, em função da retração econômica, passou a procurar espaços mais afastados do centro, outro público, por causa do home office e da busca por qualidade de vida, passou a buscar casas e espaços com conforto.

“Essas novas necessidades muitas vezes decorrem de situações econômicas onde ele faz um processo de escolha de um imóvel um pouco mais distante de Florianópolis ou um pouco mais reduzido economicamente, mas também de outro lado, onde as pessoas estando em home office passam a ter a necessidade de locar um outro espaço com áreas maiores para fazer o home office dentro desse novo espaço”, diz Leandro Ibagy.

Qualidade de vida

A qualidade de vida é um dos principais motivos para Florianópolis atrair tanto novos moradores. O IDH (índice de desenvolvimento humano) da cidade é maior do que a média brasileira. O índice mede a longevidade, a renda e a educação, entre outros indicadores. 

Novos moradores

Entre os anos de 2010 e 2020, a população de Florianópolis apresentou um aumento de 19%. A projeção é que em 2050, o número de moradores ultrapasse os 800 mil habitantes. Conforme o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em 2010 o número de habitantes que não nasceram na cidade superou o de nativos. Conforme os dados, 52% da população residente é de pessoas que vieram de outras cidades.

Salto no número de novos moradores na cidade

Capital catarinense apresentou forte crescimento nas últimas décadas
(População residente de Florianópolis)

1960        97.827
1970        138.337
1980        187.871
1991        255.390
2000        342.315
2010        421.240
2020        500.973 

Número de habitantes que não nasceram em Florianópolis superou o de nativos
(Percentual de pessoas não nascidas na cidade)

1960        17,2
1970        22,3
1980        36,4
1991        38,9
2000        48,5
2010        52,2%

Entre 2010 e 2020, população de Florianópolis cresceu 19%
876.159 habitantes é a projeção para 2050

Dados: IBGE

Qualidade de vida

O IDH (índice de desenvolvimento humano) de Florianópolis é um dos maiores do país. O indicador analisa a longevidade, a renda e a educação entre outros aspectos.

Florianópolis: 0,847
Média brasileira: 0,699

Fonte: ONU

+

IBAGY 50 anos