Armazém Rita Maria, onde passado e futuro da Capital se encontram

Restaurados, os seis galpões centenários da família Hoepcke abrigarão um complexo multiuso de entretenimento

Espaço será voltado ao convívio e reúne arquitetura, arte, gastronomia, lazer, cultura e entretenimento – Foto: RogerEngelmann/NDEspaço será voltado ao convívio e reúne arquitetura, arte, gastronomia, lazer, cultura e entretenimento – Foto: RogerEngelmann/ND

Um espaço onde o passado e o futuro da capital catarinense se encontram e que projeta as tendências mundiais em urbanismo e qualidade de vida em comunidade, no Centro de Florianópolis. Do sonho da família Hoepcke nasceu o projeto do Armazém Rita Maria, um complexo multiuso com 2.000 m2 de área restaurada, localizado próximo à ponte Hercílio Luz e à avenida Beira-Mar Norte e que reúne, em um só local, gastronomia, decoração lazer, arte, cultura e entretenimento.

Os seis galpões que fazem parte da estrutura têm 125 anos, passaram por um minucioso processo de restauração e receberão, a partir de janeiro de 2022, data prevista para a sua abertura, 20 operações das mais variadas áreas e atuações, além de galeria de arte, biergarten e praça de uso semi-público com espaço kids e espaço pet.

Com história desde do seculo 19 galpões já serviram como armazéns de carga – Foto: Divulgação/NDCom história desde do seculo 19 galpões já serviram como armazéns de carga – Foto: Divulgação/ND

“Estes galpões, construídos no final do século 19, serviam à Empresa Nacional de Navegação Hoepcke. Os navios aportavam aqui na frente, no trapiche, e os galpões funcionavam como armazéns de carga”, relembra Patrícia Grillo, sócia proprietária da Hoepcke Imóveis.

A superintendente do Armazém, Sara Miroski, diz que a estrutura será um “presente para a cidade. Terá gastronomia, decoração, cultura, lazer, história, é um espaço inédito não apenas na cidade, mas no Brasil, neste formato em que foi realizado”, afirma.

Os seis galpões têm 125 anos, passaram por um minucioso processo de restauração e receberão 20 operações das mais variadas áreas a partir de janeiro de 2022 – Foto: Divulgação/NDOs seis galpões têm 125 anos, passaram por um minucioso processo de restauração e receberão 20 operações das mais variadas áreas a partir de janeiro de 2022 – Foto: Divulgação/ND

Tanto Sara como Patrícia destacam que o local vai estimular de forma significativa o turismo na cidade, fazendo parte do calendário turístico de Florianópolis. Se olharmos o armazém há 125 anos, a projeção do futuro chegou, nós idealizamos um futuro de troca, de sinergia entre os espaços de convivência com a arte, a cultura, a arquitetura, bem-estar, entretenimento. Tudo isso vem de encontro com o conceito do Armazém”, explica Patrícia.

“Estaremos ainda no tour Frequentadores do local terão a oportunidade de conhecer um pouco mais da história da construção e da própria Ilha de Santa Catarina. Os seis galpões têm 125 anos, passaram por um minucioso processo de restauração e receberão 20 operações das mais variadas áreas a partir de janeiro de 2022 Armazém vai movimentar a região central, além de fomentar o turismo de forma significativa em Florianópolis turístico de Florianópolis e teremos uma parceria com o Convention Bureau. Temos também quatro torres empresariais ligadas ao Armazém e ao belo casarão que foi totalmente recuperado e interligado ao circuito da praça, trazendo o testemunho do tempo para dentro do novo empreendimento.

O casarão vai abrigar um espaço de gastronomia e entretenimento, levando vida aos espaços. Projetamos a circulação, entre moradores e turistas, de 5.000 pessoas por dia”, acrescenta Sara. Todos os espaços já foram comercializados.

Armazém vai movimentar a região central, além de fomentar o turismo de forma significativa em Florianópolis – Foto: RogerEngelmann/NDArmazém vai movimentar a região central, além de fomentar o turismo de forma significativa em Florianópolis – Foto: RogerEngelmann/ND

Centro executivo Carl Hoepcke

Também faz parte do complexo o Centro Executivo Carl Hoepcke que, com suas contemporâneas torres envidraçadas, contempla 93 espaços comerciais. “Mesmo na panemia, o Centro Executivo teve 90% de ocupação. Suas quatro torres estão ligadas ao Armazém. Hoje, sediamos no local entre 700 e 800 pessoas”, enfatiza a superintendente do Armazém Rita Maria.

Experiência única

Nos próximos 15 anos, Sara Miroski diz que a intenção é que o empreendimento esteja estabilizado, maturado e que seja uma referência nacional. Patrícia Grillo destaca que, ao pensar no empreendimento no futuro, é preciso pensar sempre na troca de experiências.

“Após a pandemia surgiu a necessidade da troca entre as pessoas, profissional, social e familiar. Os novos espaços devem proporcionar bem estar, conforte e alegria, e o Armazém Rita Maria juntamente com o Casarão, vêm trazer este conceito para a comunidade.

As pessoas precisam consumir experiências que tragam felicidade. O consumo material deve ser consequência do seu estado de espírito. Os países desenvolvidos descobriram que o consumo imaterial, ou aquele que vem primeiro, é o que impulsiona a economia, tornando o ciclo do consumo linear.

Acreditamos que o coração de Floripa nunca mais será o mesmo, ligamos a artéria principal da cidade à velha ponte e ao mercado municipal, numa operação que consumiu dez anos de luta e muito trabalho, finaliza Patrícia Grillo.

+

Especial ND 15+15

Loading...