João Paulo Messer

Política, economia, bastidores e tudo que envolve o cotidiano e impacta na vida do cidadão de Criciúma e região.


Cem dias de governo dos novos prefeitos

Neste ano a avaliação não tem como escapar do foco das ações de administração da crise gerada pela COVID-19.

Fatos emblemáticos como os aniversários dos governos, mesmo que sejam de apenas 100 dias costumam ganhar ato especial pelos governantes. Em Criciúma foi anunciada para esta segunda-feira (12) uma “live” com direito a participação de representantes locais da imprensa, para discutir o que aconteceu neste período em termos de gestão pública. O discurso está pronto, e claro com foco nas ações de combate à pandemia.

Sede do Executivo de Criciúma – Foto: SECOM PM CriciúmaSede do Executivo de Criciúma – Foto: SECOM PM Criciúma

O centésimo dia de governo dos atuais mandatos foi neste último sábado, dia 10.

O prefeito Clésio Salvaro tem adotado medidas simpáticas ao setor produtivo, como foi o caso do decreto de “lockdown voluntário”, segundo o qual o servidor que optasse por não trabalhar com receio dos riscos de contágio poderia fazê-lo, mas sem direito a receber salário. Ninguém aderiu. Foi assim quando o prefeito editou uma lei municipal ampliando o horário de funcionamento dos bares e restaurantes, mesmo que a ideia tenha sucumbido ao decreto editado pelo governador. Foram ações mais teóricas do que práticas. Foi a forma encontrada or ele de repassar a ideia de que a economia não poderia sofrer prejuízos mesmo em tempos de pandemia, assim como tentou igualar as regras do setor privado ao público, já que este segundo adota lockdown sem prejuízos, ao contrário do primeiro.

No campo do combate ou controle da pandemia a transformação de um antigo hospital privado desativado em hospital para atendimento nos casos da COVID-19 e agora em centro de reabilitação por pessoas que superaram o vírus.

Na área de economia a entrevista coletiva do prefeito de Criciúma deve citar medidas para amenizar os impactos da pandemia, impedindo o fechamento de empresas e estimulando a economia local, como refinanciamento de dívidas e até de taxas e alvarás vincendos. Só nos primeiros 100 dias de governo, 702 novos negócios foram registrados no município. Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) apontaram que Criciúma também registrou 4.075 mil novos empregos formais em fevereiro, finalizando o mês com um saldo de 867. A quantia garantiu o primeiro lugar entre as 12 cidades da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec) e a oitava posição em Santa Catarina.

Mas a “menina dos olhos” do governo foi a obtenção do premio de transparência. Criciúma é a cidade mais transparente de Santa Catarina, a segunda do Sul do país e a 9ª em todo o Brasil. O mérito veio pelo recebimento da nota 9.95 na 2ª edição da Escala Brasil Transparente (EBT) – Avaliação 360°, realizada pela Controladoria Geral da União (CGU).