De pequena cidade a uma das maiores potências de Santa Catarina

O município, que começou como um povoado criado a partir da exploração de pinheiros comemora 161 anos com 50 mil habitantes e é hoje um dos grandes polos de indústrias, comércio e serviços no Estado

Conta a história repassada entre gerações que quando o navegador europeu Sebastião Caboto passou pela costa catarinense a serviço da Espanha, em 1530, ficou impressionado ao avistar o imponente Rio Tijucas em meio a uma promissora terra, que decidiu chamar de São Sebastião.

Tijucas é uma cidade hospitaleira, que reúne características únicas, ao oferecer a tranquilidade de uma cidade do interior e as vantagens de um grande centro urbano – Foto: PMT/Divulgação/NDTijucas é uma cidade hospitaleira, que reúne características únicas, ao oferecer a tranquilidade de uma cidade do interior e as vantagens de um grande centro urbano – Foto: PMT/Divulgação/ND

Os motivos pelos quais ele escolheu o nome permanecem desconhecidos, mas seja qual for a razão, até hoje, São Sebastião é o padroeiro do município de Tijucas. A primeira capela erguida na cidade teve seu nome e imagem.

A ocupação da região, no entanto, só começou de fato a partir de 1788, quando um grupo de colonizadores decidiu subir o rio Tijucas à procura de pinheiros. Os desbravadores não atingiram esse objetivo, mas
verificaram a fertilidade do vale e constataram a existência de madeiras de lei, o atraiu outros exploradores e, então, começou a se formar uma aglomeração no local.

Em 1848, foi criado o distrito de São Sebastião da Foz do Tijucas, segundo traçado já existente, do engenheiro João de Souza Melo e Alvim, que, anos antes, andara pelo mesmo terreno, fazendo o levantamento do rio Tijucas.

Já a criação do município ocorreu com a transferência da sede de Porto Belo para São Sebastião da Foz do Tijucas, realizada por meio da Lei provincial n.º 464, de 4 de abril de 1859.

E, finalmente, no dia 13 de junho de 1860, foi lavrado o auto de remoção e instalação da Câmara Municipal de São Sebastião de Tijucas, que fazia agora parte das freguesias de São João do Alto Tijucas e Porto Belo.

Desde a promissora fatia de terra avistada por Sebastião Caboto há mais de 500 anos, Tijucas cresceu, se desenvolveu e neste dia 13 de junho comemora 161 anos como uma das grandes potências e uma das cidades que mais cresce em Santa Catarina.

Com 50 mil habitantes e conhecida como Capital do vale, é uma cidade hospitaleira, que reúne características únicas, ao oferecer a tranquilidade de uma cidade do interior e as vantagens de um grande centro urbano. O município ainda preserva características culturais no feitio de doces caseiros e artesanato, além da tradicional atividade pesqueira, que continua forte na tradição e economia local.

Com uma localização privilegiada, é cortada pela BR 101 e margeada pelo rio e pelo mar, a cidade atrai mais empresas a cada ano – Foto: PMT/Divulgação/NDCom uma localização privilegiada, é cortada pela BR 101 e margeada pelo rio e pelo mar, a cidade atrai mais empresas a cada ano – Foto: PMT/Divulgação/ND

Polo de comércio, indústrias e serviço

Com uma localização privilegiada, é cortada pela BR 101 e margeada pelo rio e pelo mar, a cidade atrai mais empresas a cada ano e hoje é um polo comercial, industrial e de serviços.

O município abriga hoje 5.188 empresas ativas. Destas, 214 foram abertas neste ano. Apenas em 2020, 612 empresas locais subiram de classificação, passaram de MEIS (microempreendedores individuais) para Mês (microempresas).

A economia de Tijucas é diversificada e tem sua base na produção de insumos para a construção civil, como produtos cerâmicos, extração de minérios e madeira de reflorestamento, mas tem ainda a presença de empresas de logística prestadoras de serviço e transporte, em especial à Cerâmica Portobello, que teve papel fundamental no desenvolvimento do município desde a sua fundação, em 1979, ampliação em 1987 e posterior internacionalização na década de 1990, o que atraiu mais trabalhadores do segmento e novos investidores.

O atual crescimento econômico é visível pelo próprio crescimento populacional. No último censo do IBGE, realizado em 2010, a cidade tinha 30.960 habitantes. Hoje esse número saltou para 50.000, alta favorecida, em grande parte, pela implantação de novos loteamentos, que atraem pessoas em busca de moradia mais acessível, além de trabalho junto aos empreendimentos da cidade.

Qualidade de vida

Com um IDH (Índice de Desenvolvimento Urbano) de 0,760 de acordo com dados do censo do IBGE de 2010, o município também atrai, a cada ano, novos moradores, que buscam mais qualidade de vida, e empresas de micro, pequeno, médio e grande porte, que buscam as vantagens do desenvolvimento econômico do município e sua localização estratégica, que, cortada perpendicularmente pela rodovia BR 101 e pela SC 411, se torna um importante entroncamento rodoviário, fato que, aliado a suas terras planas, chama a atenção de grandes empresas e investidores de olho nos mercados consumidores do Vale do Itajaí e da Grande Florianópolis.

Casarão Gallotti foi doado pela família ao município, sendo em seguida restaurado e entregue à comunidade como prédio público – Foto: PMT/Divulgação/NDCasarão Gallotti foi doado pela família ao município, sendo em seguida restaurado e entregue à comunidade como prédio público – Foto: PMT/Divulgação/ND

Encantos naturais e arquitetura

A proximidade é maior ainda no caso de outras famosas cidades turísticas, como Itapema, Porto Belo e Bombinhas. Tijucas também tem muitos encantos naturais, como cachoeiras, riachos e vegetação nativa. Rota de acesso ao Santuário de Madre Paulina, em Nova Trento, a cidade também tem grande quantidade de capelas históricas preservadas pela comunidade local.

A memória preservada nas ruas e casas em toda a cidade também se destaca na arquitetura, nos antigos casarões, tombados como patrimônio histórico e cultural da cidade. Entre os mais visitados e conhecidos está o Casarão Gallotti, imponente residência do século 19, que foi doado pela família ao município, sendo em seguida restaurado e entregue à comunidade como prédio público. Lá funciona o Museu Tijucas, que reúne fotos, textos e objetos antigos que recontam a história da cidade e da família Gallotti.

+

Aniversário de Tijucas

Loading...