Karina Manarin

Com foco em notícias de política, o blog traz todos os dias também as informações do cotidiano e que interferem diretamente na vida das pessoas de todo o Sul Catarinense.


Fábrica de caixões só tem matéria-prima para mais 20 dias de trabalho

Assunto foi tratado em reunião entre o deputado Rodrigo Minotto, do PDT, e prefeito de Grão Pará. Município é responsável por 40% da produção no Estado

O deputado estadual Rodrigo Minotto, do PDT, recebeu esta semana o prefeito de Grão-Pará, Helio Alberton Junior, e o vereador Janir Oenning. Na pauta a preocupação do município com as empresas de Grão-Pará que estão com dificuldade na compra de matéria-prima para fabricação de ataúdes (caixões).

Deputado Rodrigo Minotto tratou do assunto com lideranças de Grão-Pará – Foto: DivulgaçãoDeputado Rodrigo Minotto tratou do assunto com lideranças de Grão-Pará – Foto: Divulgação

“As duas empresas que fornecem estão preferindo exportar a madeira para fora do país. Temos informações de que algumas indústrias aqui da cidade têm matéria-prima para mais 20 dias apenas de trabalho. Somos o maior fornecedor de ataúdes de Santa Catarina e estamos preocupados com a paralisação das atividades”, destaca o vereador Janir Oenning.

Atualmente, Grão-Pará é responsável por 40% da produção de caixões do Estado, com cerca de 7,5 mil urnas fabricadas mensalmente. Além disso, outros 6 mil kits são produzidos por mês sem acabamento, que são entregues desmontados para finalização em outras regiões do país.

“Somente em Grão-Pará são mais de 200 pessoas empregadas diretamente na fabricação de caixões. O MDF representa 60% da matéria-prima utilizada numa urna, e as empresas estão na iminência de paralisar as atividades por falta de madeira. A Assembleia Legislativa precisa intervir junto às empresas, e esse esforço também vale para o Governo do Estado, para buscar uma solução para esse problema humanitário”, explica Minotto.