Florianópolis se transforma através de iluminação pública de qualidade

A modernização do parque com tecnologia LED garante maior eficiência energética, economia na conta de luz e abre espaço para um futuro mais sustentável

A construção de cidades sustentáveis implica em pensá-las do ponto de vista econômico, social e também ambiental. Em Santa Catarina, Florianópolis, que completa 349 anos nesta quarta (23), é um dos municípios que passa por essa transformação através da iluminação pública de excelência com o trabalho desenvolvido pela Quantum Engenharia, empresa catarinense que atua no setor há 31 anos e reforça o compromisso de aliar qualidade e crescimento sustentável.

Tecnologia LED modernizou sistema utilizado nas pontes Pedro Ivo e Colombo Salles, por onde os veículos acessam a entrada e a saída da Ilha de SC – Foto: Adriano Amaro da Silva/Quantum EngenhariaTecnologia LED modernizou sistema utilizado nas pontes Pedro Ivo e Colombo Salles, por onde os veículos acessam a entrada e a saída da Ilha de SC – Foto: Adriano Amaro da Silva/Quantum Engenharia

A modernização dos parques de iluminação pública demanda uma maior atenção. Na capital catarinense, por exemplo, a tecnologia LED garante maior eficiência energética e economia na conta de luz municipal. O material também é uma forma de proteção do meio ambiente, uma vez que o ponto de destaque é a durabilidade do equipamento: a lâmpada de LED pode durar mais que o dobro do tempo de uma tradicional, podendo chegar a mais de 11 anos de uso sem necessidade de troca.

Em Florianópolis, a Quantum é responsável pela iluminação pública das pontes Pedro Ivo Campos e Colombo Salles e da SC-401, que dá acesso ao Norte da Ilha de Santa Catarina. A tecnologia tem papel importante na modernização, mas também é fundamental na manutenção com mais controle através da telegestão das luminárias LED, permitindo o monitoramento e controle remoto dos espaços. Sendo que, por aqui, este movimento ainda está no início, mas é um dos principais elementos para cidades inteligentes.

“É uma cidade que usa tipos diferentes de sensores eletrônicos para coletar dados e usá-los para gerenciar recursos e ativos eficientemente. Tudo isso para melhorar a qualidade de vida dos moradores. E a busca da eficiência energética, com a modernização do sistema de iluminação pública, é importante, principalmente para que um município dê os primeiros passos rumo a essa realidade. Com a criação de cidades inteligentes é possível conectar diferentes serviços à rede”, disse o gerente de novos negócios da Quantum, Alex Novais.

Iluminação instalada pela Quantum na SC-401, em Florianópolis – Foto: Leonardo Sousa/PMF/Divulgação/NDIluminação instalada pela Quantum na SC-401, em Florianópolis – Foto: Leonardo Sousa/PMF/Divulgação/ND

Pacto Global, crescimento sustentável e energia fotovoltaica

O compromisso com a iluminação pública de qualidade também levou a Quantum a ingressar, no fim de 2021, na Rede Brasil do Pacto Global. Iniciativa da ONU (Organização das Nações Unidas) para mobilizar a comunidade empresarial na adoção e promoção, em suas práticas de negócios, de Dez Princípios universalmente aceitos nas áreas de direitos humanos, trabalho, meio ambiente e combate à corrupção. Com a criação dos ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável), o Pacto Global também assumiu a missão de engajar o setor privado nesta nova agenda.

Entre as ações de sustentabilidade desenvolvidas pela empresa estão a elaboração de estudos e execução de projetos de sistemas de energia solar fotovoltaica. Desde 2015, a empresa executou mais de 100 sistemas, que produziram aproximadamente 12,5 GWh e foram responsáveis pela economia na emissão de cerca de 6,8 milhões de kg de CO² até hoje. Ou seja, o equivalente ao plantio de mais de 175 mil árvores ou evitar cerca de 45,5 milhões de km rodados de carro.

A atuação da Quantum em Santa Catarina ajudou o Estado mais do que dobrar a potência instalada com painéis fotovoltaicos. O setor encerrou 2020 com a produção de 214,8 megawatts (MW), enquanto no fechamento de 2021 o número foi para 471,9 MW, crescimento de 119,7%. Os dados são da Absolar (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica).

A empresa também implantou o sistema fotovoltaico em vários prédios públicos, entre eles a reitoria da Udesc (Universidade do Estado de Santa Catarina)), a Superintendência Regional da Polícia Federal e a Alesc (Assembleia Legislativa do Estado de SC), onde a cada ano o consumo de energia deve diminuir 20% e resultar em um ganho ambiental equivalente a deixar de emitir 174 toneladas de CO² na natureza.

O segmento, ainda segundo a Absolar, atuou na geração de mais de 390 mil novos empregos nos últimos anos para o país, com arrecadação de R$ 17,1 bilhões em tributos e, ainda, sendo responsável por R$ 66,3 bilhões em novos investimentos privados. Os números devem seguir em crescimento com as PPPs (Parcerias Público-Privadas).

Até 2040, a energia solar será a responsável pela maior parte da geração energética no Brasil. Com 32% de participação, ultrapassando a hidroeletricidade, com 29% do setor. Sendo assim, as previsões para a evolução do mercado fotovoltaico são bastante otimistas.

+

Florianópolis, 349 anos

Loading...