‘Fortalecimento ao microcrédito é uma aposta nacional’, diz presidente da Abecred

Isabel Baggio também é presidente do Banco da Família e explicou que pretende se aproximar do Governo Federal, Congresso Nacional e demais entidades relacionadas ao setor

Isabel Baggio, presidente da Abcred (Associação Brasileira das Entidades Operadoras de Microcrédito e Microfinanças) e do Banco da Família, visitou nesta quarta-feira (25) o Grupo ND, em Florianópolis. A representante da entidade nacional comentou sobre os investimentos e desafios com a nova direção da Abcred, que assumiu há cerca de um mês. A gestão será de maio de 2022 a maio de 2024.

Baggio explicou que pretende estreitar relações entidades relacionadas ao setor de microfinanças – Foto: Ana Schoeller/NDBaggio explicou que pretende estreitar relações entidades relacionadas ao setor de microfinanças – Foto: Ana Schoeller/ND

De acordo com a presidente, existe um número grande de pessoas que não têm acesso a crédito, os chamados “informais”. Estas pessoas têm dificuldade para fazer comprovação da sua renda. E são elas as clientes dos bancos de microfinanças. Esse universo agora é uma aposta nacional, explicou Isabel.

A presidente da Abcred explicou que pretende fortalecer as relações com o Governo Federal, Congresso Nacional e demais entidades relacionadas ao setor.

“Existe um potencial de crescimento muito grande nesta área. Pretendemos trabalhar na melhoria da estrutura regulatória e divulgar as ações de microfinanças”, explicou Baggio.

Isabel Baggio também conversou com o repórter Luan Vosnhak – Foto: Ana Schoeller/NDIsabel Baggio também conversou com o repórter Luan Vosnhak – Foto: Ana Schoeller/ND

Dados no Estado demonstram destaque nacional

A presidente, natural de Lages, na Serra Catarinense, explicou que Santa Catarina tem destaque nacional quando se fala em microfinanças, que são serviços financeiras voltados às populações de baixa renda. Isto porque, segundo ela, o Estado tem 100% de cobertura de microfinanças em todas as cidades catarinenses.

Porém, para conceder um microcrédito, Isabel explica que é preciso ter cautela. Para isto, o Banco da Família, no qual também é presidente, oferece atendimento “personalizado” para seus clientes. O atendimento é feito levando em conta múltiplos fatores.

“Avaliamos tudo antes de conceder o crédito. Entre as avaliações estão as finanças da família e do trabalho. Isso porque precisamos pensar que um crédito mal concedido é um problema estabelecido”, explicou.

Luana de Oliveira, de Anita Garibaldi, foi uma das mulheres que receberam o auxílio para mulheres empreendedoras- Foto: Banco da Família/Divulgação/NDLuana de Oliveira, de Anita Garibaldi, foi uma das mulheres que receberam o auxílio para mulheres empreendedoras- Foto: Banco da Família/Divulgação/ND

Auxílio para mulheres empreendedoras

Ainda na entrevista, Isabel explicou que 52,25% dos clientes do Banco da Família são mulheres. Elas, em sua grande maioria, chefiam as casas e podem ser muito auxiliadas pela liberação de microcrédito, como explica Isabel.

“As mulheres historicamente enfrentam dificuldade para conseguir microcrédito. A importância dele para elas é que traz segurança e autoestima. Entenda que a partir desse valor que ela consegue, com o seu negócio, restabelecer sua autoestima e segurança. É um caso de independência financeira, onde muitas anteriormente eram reféns dos seus parceiros”, ressaltou.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Diversa+ na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Economia SC

Loading...