Governo de SC estuda utilização de carros elétricos

Cúpula do governo de SC esteve no Distrito Federal para conhecer o projeto de inovação urbana implantado na capital federal; produção tem DNA catarinense

O governo de SC estuda a utilização de carros elétricos em sua frota. A intenção foi confirmada depois que representantes da Casa Militar e da Secretaria Executiva de Assuntos Internacionais conheceram, na última semana, o projeto de inovação de mobilidade urbana com carros elétricos implantado pelo Governo do Distrito Federal.

Carros elétricos, desenvolvidos pela empresa Weg, de Jaraguá do Sul, são utilizados no DF; governo de SC avalia utilização também – Foto: Divulgação/governo SCCarros elétricos, desenvolvidos pela empresa Weg, de Jaraguá do Sul, são utilizados no DF; governo de SC avalia utilização também – Foto: Divulgação/governo SC

“Estamos avaliando a troca de parte da frota dos carros da Casa Civil por veículos elétricos”, afirmou o coordenador de Transporte Terrestre da Casa Militar de SC, tenente-coronel BM George de Vargas Ferreira.

Segundo ele, este projeto inovador traz como principais benefícios a redução de emissão de poluentes ao meio ambiente, dos custos por combustível por parte do Estado e também da frota, pois permite o compartilhamento de veículos.

O novo modelo de transporte utilizado no Distrito Federal conta com carros da multinacional Renault e com as estações de carregamento veicular da empresa catarinense WEG, de Jaraguá do Sul.

O modelo foi desenvolvido para compartilhamento dos veículos pelos servidores públicos quando em deslocamento a serviço do Estado, por meio de uma reserva prévia por aplicativo.

O programa VEM DF já tem 16 veículos elétricos modelo Renault Twizy funcionando com 30 eletropostos e todo um sistema desenvolvido de gerenciamento.

“Como possui alguns componentes internacionais, montadoras e fundos, fomos entender o projeto com o intuito de replicar na Casa Civil”, destacou a secretária executiva de Assuntos Internacionais, Daniella Abreu.

O projeto foi viabilizado através de uma parceria entre o Governo do DF, a ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial) e o PTI (Parque Tecnológico Itaipu).

“A ABDI promoveu a sessão dos carros em comodato para o GDF, e o PTI forneceu a tecnologia do sistema de liberação dos veículos e de monitoramentos dos mesmos”, explicou o subsecretário de Ações e Projetos Estruturantes do GDF, João Pedro Gurgulino.

+

Economia SC