Indústria química vai abrir fábrica no Norte de SC

Investimento previsto na fábrica é de R$ 14 milhões; obras começam no mês que vem

Garuva, no Norte catarinense, está prestes a receber um investimento de R$ 14 milhões. A indústria Química Carioca Ltda., com sede em Franca, interior de São Paulo, vai abrir uma nova fábrica com escritórios na cidade catarinense.

GaruvaGaruva foi escolhida pela empresa por estar em uma localização estratégica, perto dos portos – Foto: Crisbetto/Divulgação ND

A construção da nova unidade fabril vai começar em agosto e será feita em duas etapas, adiantou Sonia Chiba, diretora Administrativa e Financeira da indústria.

Na primeira fase será construída a fábrica e o galpão de armazenagem e deve durar oito meses. Na segunda etapa, serão erguidos os escritórios, o que deve levar mais seis meses.

Além do investimento de R$ 14 milhões, a nova fábrica vai gerar 49 empregos diretos e 98 empregos indiretos, segundo estimativa da empresa.

A Química Carioca fabrica produto químico voltado para cortumes, usina de cana de açúcar e de celulose. A empresa também importa e exporta produtos químicos e vende no mercado nacional. Tem várias representações (parceiros) espalhadas pelo Globo: Colômbia, Itália, Turquia, Romênia, Alemanha, Holanda, Índia e China.

De acordo com Sônia, um dos principais motivos da escolha de Garuva foi a localização estratégica da cidade, próximo a dois importantes portos: Itapoá, cidade que faz divisa com Garuva, e o de São Francisco do Sul, no Litoral Norte.

A nova fábrica da Química Carioca em Garuva foi um dos projetos aprovados pelo Programa de Desenvolvimento da Empresa Catarinense (Prodec) no final de abril deste ano. O Prodec é coordenado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE).

O projeto da Química Carioca foi avaliado pelo Comitê Técnico do Prodec e recebeu sinal verde.

Prodec

Outro projeto de investimento que passou pelo Prodec é o da empresa JJ Instalações Comerciais Eireli com  investimento previsto de R$ 13.930.000,00 na cidade de Maravilha, Extremo-oeste do Estado.

A expectativa é abrir 47 vagas de empregos diretos e 30 indiretos. A planta proposta prevê a expansão e modernização da empresa, que irá ampliar a capacidade de produção e padronização de processos com o objetivo de atender novos mercados.

No total, as duas empresas vão gerar cerca de 224 empregos diretos e indiretos em Santa Catarina.

De 2019 até 2021, o Programa Prodec, que concede incentivo a projetos de ampliação e expansão que tenham estimativa de gerar emprego e renda com incremento ao uso da tecnologia e inovação em Santa Catarina, já contabilizou R$ 4,1 bilhões em investimentos e 3.872 novas vagas de empregos diretas.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Economia SC