‘Levei um susto, depois comecei a rir’, diz morador que recebeu conta de luz de R$ 85 mil em SC

Caso aconteceu em Araranguá, no Sul catarinense, e com outros moradores também; Celesc explica o motivo

Um morador de Araranguá, no Sul catarinense, levou um susto ao descobrir que teria de pagar quase R$ 85 mil em energia elétrica, após receber uma fatura da Celesc na terça-feira (23).

Morador de Araranguá recebe fatura de quase R$ 85 mil – Foto: Julio Cavalheiro/Secom/Divulgação/NDMorador de Araranguá recebe fatura de quase R$ 85 mil – Foto: Julio Cavalheiro/Secom/Divulgação/ND

O documento, com vencimento para dezembro, mostrava que o consumo na residência de 64 m², onde Luan Cristiano Albano vive com a esposa e a filha, teria sido de 91 mil kwh.

“Levei um susto, depois comecei a rir, porque uns dias antes vi uma reportagem de que os moradores de um bairro próximo tinham recebido a conta de luz alterada, mas era R$ 800, R$ 700 a mais, não esse valor”, conta.

Luan era acostumado a pagar entre R$ 120 a 130 em energia elétrica por mês. “Na hora, pensei: eu não vou atrás de instituição nenhuma. Eles que vão ter que arrumar essa fatura, porque foi um valor exacerbado”, comenta.

O técnico de radiologia decidiu, então, não quitar a fatura e comunicar a imprensa. Um dia após o assunto repercutir, Luan recebeu uma nova cobrança no valor de R$ 161,39.

“Agora vamos ficar em alerta. Se ao invés de R$ 85 mil, por exemplo, viesse R$ 260 ou R$ 300 eu ia pagar, ia passar batido, porque estou construindo aqui em casa. Agora, já imaginou quantas vezes isso já não aconteceu”, diz.

Além de Luan, outros moradores em Araranguá tiveram o valor da conta de luz alterado. O aposentado Francisco Anastácio, por exemplo, registrou aumento de 50%. “Veio R$ 770. Antes, eu pagava R$ 390 a R$ 400 por mês”, comenta.

O mesmo se repetiu com a costureira Eliane Barros. “A gente pagava em torno de R$ 200 a R$ 250. De um mês para o outro, pulou para R$ 487”, conta.

Segundo eles, o problema passou a acontecer depois da instalação de medidores inteligentes na cidade. “Não explicaram se ia ter aumento ou não. Só foram colocando e ninguém sabia de nada”, reclama Anastácio.

Em nota, a Celesc informou que, de fato, o aumento foi causado pela substituição dos medidores convencionais pelos inteligentes. No comunicado, também disse que vai enviar novas faturas aos moradores e que vai ressarcir aqueles que já pagaram.

Segundo a distribuidora, o erro foi registrado em 9.375 unidades consumidoras do município, durante leituras realizadas entre 16 e 19 de novembro.

Os  bairros  atingidos são: Araponga, Campinho, Centro, Coloninha, Jardim Cibele, Mato Alto, Morro do Pronto, Operária, Polícia Rodoviária, Sanga da Areia, Sanga da Toca, Vila São José e Volta Curta.

Ainda de acordo com a Celesc, esse valor teria sido cobrado referente ao consumo residual, gerado a partir da substituição dos medidores, e seria a diferença entre a leitura de retirada e a da última fatura.

Medidores

Ao todo, 9.325 medidores convencionais foram substituídos por inteligentes no município. A cidade foi a primeira no Estado a receber os novos equipamentos, que compõe o projeto Cidade Inteligente.

De acordo com a companhia, os equipamentos são mais eficientes, pois detalham dados sobre a qualidade da energia, permitem a melhor gestão do consumo e perdas e ainda identificam ocorrências de maneira instantânea na rede elétrica.

+

Economia SC

Loading...