Negócio de quase US$ 1 bilhão envolve empresa que tem 30% do porto de Itapoá

Maersk vendeu fabricante de contêineres reefer para indústria da China

Um negócio relevante para o mundo da navegação, especialmente porque Santa Catarina conta com seus portos.

O grupo A.P. Moller – Maersk assinou acordo na última segunda-feira (27) para vender seu fabricante de contêineres reefer, Maersk Container Industry (MCI), para a China International Marine Containers Ltd. (CIMC), indústria chinesa com sede em Shenzhen. A cifra do negócio foi de US$ 987,3 milhões à vista (aproximadamente R$ 5,3 bilhões).

contêineres em ItapoáContêineres no Porto de Itapoá – Foto: Marcelo Feble/NDTV Record TV

A Maersk tem 30% do Porto de Itapoá, no Litoral Norte de Santa Catarina, e é a maior movimentadora de navios e contêineres do mundo atualmente.

A MCI se tornará parte de uma empresa líder de mercado na indústria de equipamentos para contêineres, que assumirá toda a organização e ativos da Maersk Container Industry, que incluem a fábrica de reefer em Qingdao, China, bem como suas instalações de P&D e engenharia de teste em Tinglev, Dinamarca.

“Acreditamos que nós, da CIMC, encontramos um bom dono de longo     prazo para a MCI. Isso faz parte da transformação dos negócios da Maersk, onde o foco está em ser uma empresa integrada de transporte de contêineres e logística, criando valor para o cliente em toda a cadeia de suprimentos”, disse Henriette Hallberg Thygesen, CEO do departamento de Fleet & Strategic Brands da APMoller – Maersk.

Para ele, o novo lar da MCI garante que a empresa continue a expandir seus negócios reefer, por meio de desenvolvimento contínuo e investimentos comprometidos de um novo proprietário.

“Temos um relacionamento próximo com a CIMC há mais de 30 anos e estamos ansiosos para continuar essa parceria”, concluiu.

Fundada pela Maersk em 1991, a MCI faz parte da empresa há mais de 30anos. Ao longo dos anos, ela se transformou em um negócio focado inteiramente na fabricação de contêineres refrigerados e, em 2020, a empresa entregou seu resultado mais lucrativo desde a sua fundação.

contêineres

contêineresMaersk Container Industry (MCI) – Foto: Divulgação ND

A CIMC deseja continuar a trajetória da MCI de aumentar as vendas e investir no desenvolvimento de novos produtos e acredita que trazer a MCI para o grupo permitirá isso.

“Ao alavancar a tecnologia e a inovação, queremos criar uma plataforma decrescimento na cadeia de refrigerados. Estou ansioso para receber a MCI, pois estou muito impressionado com os resultados e inovação da empresa. Estou convencido de que, ao combinar as pessoas e tecnologias talentosas da MCI com nosso negócio de refrigeração global, vamos criar um futuro empolgante, como um parceiro-chave para nossos clientes”, disse o presidente da CIMC, Mai Boliang.

O valor da transação é de US$ 987,3 milhões à vista. O contrato ainda está sujeito a aprovações regulatórias. Espera-se que a transação seja concluída até 2022. Até o fechamento, a CIMC e a MCI permanecem duas empresas separadas e continuam a administrar seus negócios normalmente.

À reportagem do Portal ND+, a Maersk informou, por meio da assessoria de imprensa, que a compra da MCI por parte da CIMC não causará impactos nas regiões portuárias de Santa Catarina. Por consequência, não afetará os funcionários, garantiu.

“Como se trata de uma cadeia global de controle de alocação de contêineres, o fornecedor do equipamento não influencia na divisão dos contêineres pelo mundo. A parceria, contudo, tende a melhorar os processos logísticos, os serviços. Vai beneficiar a empresa e seus clientes”, sublinhou.

Entenda o que faz cada empresa

A A.P. Moller – Maersk é um grupo de logística de contêineres. É líder global em serviços de transporte marítimo, opera em 130 países e emprega cerca de 80 mil pessoas.

A Maersk Container Industry (MCI) está sediada na Dinamarca e produz contêineres refrigerados e unidades de refrigeração Star Cool em Qingdao, China. Também possui uma rede global de mais de 400 provedores de serviços.

A CIMC foi fundada em 1980 em Shenzhen, China como uma joint venture estabelecida pela China Merchants Group e East Asiatic Company. A empresa foi listada na Bolsa de Valores de Shenzhen em 1994 e na Bolsa de Valores de HongKong em 2012. Hoje, mais de 64 mil pessoas da CIMC operam seus centros de P&D, instalações de produção e entidades comerciais em quase 20 países e regiões.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Economia SC

Loading...