Nem sempre a inovação está ligada à tecnologia

- +
Fazer a diferença na pavimentação do futuro requer, mais do que tudo, criatividade e, às vezes, ela está em soluções muito simples e caseiras, no quintal de nossa casa

Apesar da revolução tecnológica, nem toda inovação tem que necessariamente ser tecnológica. Em Bombinhas, no litoral catarinense, por exemplo, a prefeitura, empresários locais e Associação de Vinicultores da Serra Catarinense, com o apoio da ex-prefeita do município, a deputada estadual Paulinha Silva, trouxeram uma inovação mundial para Santa Catarina.

Trata-se da primeira vinícola subaquática do Brasil. E uma das dez que existem em todo o mundo. Cerca de mil garrafas de vinho de vinícolas catarinenses ficarão submersas entre as praias de Bombinhas e a do Ribeiro. Elas ficarão de três a seis meses submersas, processo que equivale ao envelhecimento de dois a três anos em uma adega.

A simplicidade da vida à beira-mar, a rota rural e a força histórica, tudo bem pertinho do agito da região metropolitana, valoriza o turismo em Biguaçu – Foto: Léo Munhoz/NDA simplicidade da vida à beira-mar, a rota rural e a força histórica, tudo bem pertinho do agito da região metropolitana, valoriza o turismo em Biguaçu – Foto: Léo Munhoz/ND

Esta aceleração do processo ocorre graças às condições do fundo do mar, como regularidade na temperatura e pouca incidência de luz. E a região de Bombinhas se mostrou ideal para esta experiência.

Terra da ostra

Na região da Grande Florianópolis, a grande aposta de inovação para o setor de turismo englobando restaurantes, bares e demais é a busca da Indicação Geográfica como Terra da Ostra. O pedido do registro no Inpi (Instituto Nacional da Propriedade Industrial) está em fase de elaboração.

“Envolve cinco municípios, compreendendo Florianópolis, Palhoça, São José, Biguaçu e Governador Celso Ramos. Inovação que traz o reconhecimento do produto já tradicional e que já tem vínculo com uma grande cadeia de serviços de gastronomia e turismo. Fortalecendo o turismo sustentável”, explica o consultor do Sebrae/SC, Alan Claumann.

Além disso, as comunidades de Ratones e Mont Serrat vão integrar o projeto de turismo com base comunitária em Florianópolis. Sendo que oferecem um turismo rural, a cultura e produtos da Ilha. Cada distrito com a sua característica. Em Biguaçu, as ações buscam incentivar o turismo rural. Um roteiro está em fase de construção, com 20 produtores agrícolas. O comportamento do consumidor também muda. Hoje, os turistas não querem só viajar para percorrer os pontos tradicionais
das cidades, mas sim querem conhecer melhor e conviver com a
cultura.

“Uma pesquisa do Booking mostra que no Brasil 78% das pessoas pretendem viajar, mas promovendo um turismo mais sustentável, um turismo mais integrado a comunidades locais, com a redução de consumo, uso de transporte público, bicicletas, táxis e transporte via aplicativos ao invés de alugar carros”, exemplifica Alan.

“Empresas não conseguem preencher as vagas, porque não têm pessoas
qualificadas. Desde janeiro, estamos com o Floripa Mais Empregos
capacitando pessoas para os novos trabalhos.” – Juliano Pires, secretário de Turismo, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico de Florianópolis.

Desafio está em formar e qualificar a mão de obra

O avanço da vacinação contra a Covid-19 é a esperança de que um dos tempos mais difíceis para o setor de serviços seja superado. Principalmente para quem trabalha com eventos, que foi o mais afetado e
ainda não pode retornar totalmente.

“Recuperação está acontecendo, principalmente com a volta do turismo, com bares e restaurantes voltando à normalidade. O pessoal de eventos foi bem impactado. A cadeia de eventos, como casamentos, formaturas e shows parou e o pessoal de lazer foi muito afetado economicamente. Precisamos vacinar rápido”, comenta o secretário de Turismo, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico da Prefeitura de Florianópolis, Juliano Pires.

Santa Catarina é segundo Estado no país em termos de recuperação do setor. De acordo com pesquisa da Fecomércio/SC, o acumulado deste ano registrou alta de 15,6% em termos de volume de serviços.

No Brasil, esse número ficou em 7,3%. Sendo que em maio, em comparação com o ano passado, houve um crescimento de 23,9% no volume de serviços.

Já no acumulado de 12 meses, o Estado registrou alta de 5,8%, o terceiro maior do país, ritmo oposto ao nível do Brasil, que recuou 2,2%.

Além da pandemia, uma das maiores dificuldades, principal-
mente dentro do setor de tecnologia, é a falta de mão de obra qualificada.

“Empresas não conseguem preencher as vagas, porque não têm
pessoas qualificadas. Desde janeiro estamos com o Floripa Mais Em-
pregos capacitando várias pessoas para os novos trabalhos. Lançamos um programa com a UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), para capacitar cerca de 500 pessoas em tecnologia na área de desenvolvimento”, comenta o secretário.

Experiências “UAU”

Quatro inovações que encontramos no Brasil e no mundo:

  • BANCOS DIGITAIS – O surgimento de bancos completamente on-line e sem taxas foi uma das grandes inovações no Brasil. As fintechs têm ganhado cada vez mais espaço no setor bancário.
  • RESTAURANTE SENSORIAL – É um tipo de restaurante em que o cliente é convidado a vivenciar a experiência de um jantar sem usar o sentido da visão, usando vendas. A ideia já foi adotada em diversos empreendimentos no mundo. No Brasil, existe um estabelecimento em São Paulo.
  • LOJA COM PISCINA – Em Colônia, na Alemanha, uma loja dispõe de
    piscina para que os clientes testem os produtos aquáticos. A Globetrotter virou ponto turístico da cidade.
  • VINÍCOLA SUBAQUÁTICA – Em Bombinhas, em Santa Catarina, em uma inovação da prefeitura, empresários e Associação dos Produtores de Vinho da Região Serrana, cerca de mill garrafas de vinhos catarinenses serão submersas. É a primeira experiência do gênero no país.

Quatro inovações na Grande Florianópolis:

  • CLIQUE E COMPRE CDL – Plataforma de e-commerce desenvolvida pela CDL de Florianópolis. É um marketplace que possibilita os comerciantes
    da cidade a venderem os produtos de forma on-line.
  • SMART TOUR – Startup de turismo criada em Florianópolis. Iniciativa inédita na América Latina que visa criar Rotas Turísticas Inteligentes
    pela Internet das Coisas, criando locais que se comunicam com os visitantes em tempo real.
  • INDICAÇÃO GEOGRÁFICA DAS OSTRAS – Em fase de construção, o selo envolve cinco municípios da Grande Florianópolis e uma cadeia de
    fornecedores, restaurantes, entre outros. Visa fortalecer o turismo. E deixar a região conhecida como a Terra das Ostras.
  • RD STATION – Criada em Florianópolis, é uma plataforma voltada para a integração do marketing digital de empresas. Foi vendida por mais de R$ 1 bilhão.