Pesca da sardinha inicia com impasse e risco de paralisação de pescadores em Itajaí

Reunião com sindicato tenta por fim à possível paralisação de armadores da modalidade de cerco

Com o fim do período de defeso da sardinha-verdadeira, pescadores de Itajaí entraram em um impasse a respeito do preço imposto pela indústria que processa o peixe.

Pesca da sardinha inicia com impasse e risco de paralisação de pescadores em Itajaí – Foto: Anderson Coelho/NDPesca da sardinha inicia com impasse e risco de paralisação de pescadores em Itajaí – Foto: Anderson Coelho/ND

Pescadores, Sindipi (Sindicato dos Armadores e das Indústrias da Pesca de Itajaí e Região) e Sintrapesca (Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Pesca de Santa Catarina) se reuniram nesta terça-feira (8) para tentar resolver as questões.

O preço mínimo acordado antes do início da safra ficou em R$ 2,50 por quilo da sardinha-verdadeira, segundo o Sindipi. No entanto, como os cardumes foram localizados mais ao Sul do que o previsto, a indústria opera a R$ 3 o quilo, valor 20% superior ao mínimo acordado.

Com o impasse, a frota de captura da sardinha ameaçou paralisar as atividades, que começaram no dia 1º de março.

Uma nova reunião deve acontecer nesta quarta (9) na sede do Sintrapesca, onde as indústrias conserveiras devem apresentar a posição da categoria. Já foi adiantado que eles não compactuam com a paralisação.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Itajaí e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Economia SC

Loading...