Pescadores questionam novas regras para a pesca da tainha em SC

Indústria pesqueira e pescadores artesanais estão preocupados com as novas regras para a safra da tainha, que inicia no dia 1º de maio no litoral catarinense

A redução das cotas de tainha entre as frotas de cerco/traineira e emalhe anilhado para a safra deste ano desagradou os pescadores em Santa Catarina. A portaria do governo federal estabelece a quantia de 605 toneladas para a modalidade de cerco/traineira e 780 toneladas para a modalidade de emalhe anilhado.

“Os pescadores estão apreensivos porque para o emalhe anilhado a cota foi diminuída de 1.100 toneladas para 780 e muitos pescadores não sabem o motivo. Enquanto outras cotas foram aumentadas, a nossa foi diminuída”, disse o presidente da associação de pescadores da Armação, no Sul da Ilha de Santa Catarina, Aldori Aldo de Souza.

Uma das modalidades mais afetadas foi a da pesca artesanal, ou de emalhe anilhado, que teve a cota reduzida em 416 toneladas – Foto: Anderson Coelho/Arquivo/NDUma das modalidades mais afetadas foi a da pesca artesanal, ou de emalhe anilhado, que teve a cota reduzida em 416 toneladas – Foto: Anderson Coelho/Arquivo/ND

De acordo com o chefe da divisão catarinense do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, José Henrique Francisco dos Santos, a redução foi baseada em estudos para garantir a preservação da espécie. “Se a gente for considerar, o que eles conseguiram capturar nos últimos anos é o tamanho da cota que foi estabelecida para eles este ano. Então, nós estabelecemos algo que eles já vem capturando em média nos últimos três anos”, explicou.

“Como que nós chegamos a esses valores de cota de captura? Através dos mapas de bordo que o próprio setor produtivo envia para a Secretaria Nacional de Aquicultura e Pesca. Nós juntamos esses dados e fomos além: pegamos informações do SIGSIF (Sistema de Informações Gerenciais do Serviço de Inspeção Federal), também houve um estudo das ovas, além de dados de notas fiscais”, contou o secretário nacional de pesca, Jorge Seif Júnior.

No geral, as cotas de captura para este ano somam 1.385 toneladas de tainha. Esta é a menor cota anual estabelecida pelo governo federal desde 2018. A safra inicia no dia 1º de maio em Santa Catarina.

Além das mudanças nas cotas, os pescadores também devem seguir regras sanitárias durante a temporada de pesca da tainha em função da pandemia.

Confira mais informações na reportagem do ND Notícias.

+

ND Notícias