Planeja abrir um MEI ou quer fazer sua empresa crescer?

Conheça as soluções e suporte oferecidos pelo Sebrae/SC para auxiliar em todo esse processo de empreender e impulsionar os negócios

Planeja abrir um MEI ou quer fazer sua empresa crescer? – Foto: Divulgação/ND.Planeja abrir um MEI ou quer fazer sua empresa crescer? – Foto: Divulgação/ND.

O distanciamento social e dificuldades encontradas pelas empresas neste ano para manter o faturamento e o quadro de funcionários já deixam mais de 14 milhões de brasileiros desempregados. Somente no varejo, foram extintas 165 mil vagas de vendedores entre março e junho de 2020, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) apontam que apesar da retomada econômica que começou em julho deste ano, as 677 mil vagas geradas desde então representam apenas 44% dos quase 1,6 milhão de postos de trabalho que foram extintos quando a pandemia se agravou no país.

Separamos materiais exclusivos, que você pode ter acesso de graça através do formulário abaixo!

Separamos materiais exclusivos, que você pode ter acesso de graça através do formulário abaixo!




    Neste cenário de crise e desemprego, o empreendedorismo foi a saída encontrada boa parte da população. De acordo com o Sebrae/SC, apenas nos primeiros nove meses de 2020, o número de MEIs (microempreendedores individuais) cresceu 14,8% no país, em relação ao ano passado. Em todo o ano, foram abertas 1.470.484 novas empresas.

    Em Santa Catarina já são 460 mil MEIs. De janeiro a outubro de 2020 o crescimento na abertura destas empresas no Estado foi de 19,5%, se comparado ao mesmo período no último ano.

    Neste cenário de crise e desemprego, o empreendedorismo foi a saída encontrada boa parte da população. – Foto: Divulgação/ND.Neste cenário de crise e desemprego, o empreendedorismo foi a saída encontrada boa parte da população. – Foto: Divulgação/ND.

    Neste ano, o governo federal fez algumas alterações para alavancar esse segmento.  “Uma grande mudança ocorreu no último mês de setembro, quando entrou em vigor nova portaria com dispensa de alvará e licença para o microempreendedor Individual, o que acaba com a burocracia na abertura do negócio, por exemplo. Em relação ao auxílio emergencial, o MEI foi uma das categorias favorecidas, tiveram direito pelo prazo que foi cedido”, explica Aline Pereira, analista técnica do Sebrae/SC.

    Ainda de acordo com a entidade, o país deve registrar, até o final de dezembro, o maior número de novos MEIs da sua história. No entanto, é preciso conhecimento sobre como empreender, visão estratégia e suporte para levar o negócio à frente, pois, ainda segundo o IBGE, 21% das empresas fecham as portas após o primeiro ano e 60% encerram suas atividades com menos de cinco anos de vida.

    Auxílio para empreender

    O Sebrae/SC oferece várias soluções para o suporte aos pequenos negócios que já estão estabelecidos, para quem decidiu empreender agora devido à crise e para quem quer impulsionar as vendas e o crescimento da empresa. A entidade tem consultores especializados no assunto à disposição, de forma presencial ou on-line, além de serviços digitais.

    “Oferecemos uma série de cursos, desde o passo a passo explicando como formalizar, como crescer, com vender mais, como vender online, e lançamos um kit que foi um sucesso, vale a pena conferir. Também temos conteúdos que abordam como estimular a criatividade, como vender mais, inovar, tudo voltado aos pequenos negócios, como o MEI. Quase sempre ele é o único profissional e faz de tudo, então esse suporte, ter esses conteúdos ricos do Sebrae, ajuda muito”, acrescenta Aline.

    Mais informações sobre o MEI

    O MEI é um regime tributário simplificado, criado há dez anos, para dar oportunidade às pessoas que trabalham na informalidade ou de forma autônoma, de regularizar a situação e ganhar um novo status no mercado. Ao se cadastrar, a pessoa é enquadrada no Simples Nacional e fica isenta de tributos federais, além de ter acesso a diversos benefícios, como INSS, microcrédito, entre outros.

    “Uma das vantagens é a taxa simplificada, ele vai pagar mensalmente uma guia única com todos os impostos, o valor varia de R$ 53,25 a R$ 58,25/mês dependendo a categoria da atividade. Ter o CNPJ, poder comprar com desconto, ter direito a seguridade social, emitir nota fiscal são algumas vantagens bem interessantes”, analisa Aline.

    Para aderir ao MEI, o profissional não pode ter faturamento superior a 81 mil reais por ano e ser sócio ou titular de outra empresa. Há uma lista de quase 500 profissões que podem ser enquadradas nesse regime, entre elas ambulantes, cabeleireiros, mecânicos, editores de jornais e revistas.

    Para saber mais, acesse: KIT DO MEI – Tudo o que você precisa para ser um MEI de sucesso.

    +

    Sebrae + Gestão

    Loading...