Praça de pedágio separa comunidade e revolta moradores em Laguna

Praça de pedágio instalada na BR-101, em Laguna fica no meio do bairro Nova Fazenda e moradores querem a isenção no pagamento da taxa

Moradores do bairro Nova Fazenda, em Laguna, estão angustiados com os reflexos da implantação de uma praça de pedágio na BR-101, trecho Sul. Juntamente de outros anseios, a comunidade quer a isenção do pagamento da taxa do pedágio uma vez que a obra teria “dividido” a comunidade ao meio.

Rodovia BR-101 com trânsito de veículos e placas de atençãoPedágio sendo construído em Laguna, no techo Sul da BR-101; grandes transtornos para os moradores da região – Foto: Diogo de Souza/ND

Em menos de um mês quatro praças de pedágio devem entrar em funcionamento ao longo do trecho Sul da BR-101, em Santa Catarina. Uma delas, no entanto, virou motivo de dor de cabeça para moradores de uma comunidade com aproximadamente 320 casas.

A praça já instalada no município de Laguna, altura do km 298 da maior rodovia do País, trouxe alguns impasses para os moradores da localidade composta, majoritariamente, por pescadores.

“A praça foi instalada bem no meio da comunidade que, agora está dividida. Além disso eles colocaram uma extensão de guard rails que acaba ‘fechando’ as pessoas. Eu, por exemplo, preciso pagar pedágio para ir na padaria, já que sou obrigado a passar pela rodovia para ir até ali”, explicou Omar Pacheco, líder do movimento que trata das questões do pedágio e um dos representantes da AMNOF (Associação de Moradores de Nova Fazenda).

Motivados por esse, dentre outros problemas acarretados com a chegada da obra, os moradores da AMNOF criaram um grupo para para canalizar as demandas junto a CCR (Concessionária Catarinense de Rodovias S/A).

“Em vez de eles fazerem essa obra mais para frente, ou num local sem moradores, eles fizeram bem no meio da comunidade que é carente”, acrescentou Omar.

No último dia 13, inclusive, os moradores organizaram um manifesto no local. Eles passearam pelo trecho, entre a rodovia e as marginais, com cartazes e demais mensagens de protesto.

A Comissão do Pedágio criada pela associação dos moradores representa as comunidades de Itapirubá, Roça Grande, Boa Vista, Caputera, Estreito e Nova Fazenda.

Conforme consta em contrato, somente veículos oficiais são isentos de pagamento nas praças de cobrança.

Mais reivindicações

Representantes da comunidade, juntamente com diretores da concessionária, estiveram reunidos virtualmente no dia 12 de fevereiro. Na ocasião, receberam o pedido de isenção na cobrança para os moradores, bem como outras reivindicações no local.

Moradores realizaram um manifesto no sábado (13), no período da tarde – Foto: Divulgação/NDMoradores realizaram um manifesto no sábado (13), no período da tarde – Foto: Divulgação/ND

Além do pedido de isenção na taxa de pagamento para moradores da região, o grupo quer adaptações a partir das obras realizadas no local.

Uma delas é a implantação de passarelas no ponto do pedágio, já que uma escola atende crianças da localidade e, para isso, é preciso um espaço “com segurança” para fazer a travessia.

“Agora são seis pistas de um lado e seis pistas de outro, são 12 pistas a serem atravessadas por crianças que não tem condição e nem porquê correr um risco desse tamanho. Queremos essas obras antes que eles comecem a cobrar a tarifa”, endossa o presidente Omar.

Os moradores ainda clamam por obras de drenagem nas marginais, já que os moradores ficaram “espremidos” devido ao alargamento da via. A água que acumula na região, segundo o presidente da associação, está sem escoar e isso acarreta na inundação das residências.

Outro alerta, também incluso na demanda repassada à concessionária diz respeito a Lagoa de Imaruí, na região, que está “recebendo” toda a água acumulada na pista que, sem drenagem, fica sem escoamento.

Os moradores, na maioria pescadores, lembram que a água que escorre da chuva é contaminada e isso pode afetar a cadeia produtiva da lagoa. Há um temor já que a água leva a toxina de monóxido de carbono deixada pelos veículos e trata-se de substância prejudicial a saúde e ao pescado.

“Todas as demandas foram encaminhadas, em ofício, para os diretores da concessionária, que nos prometeram vir aqui conferir, pessoalmente, nossas demandas. Até agora ninguém apareceu”, acrescentou.

Omar ainda alertou que, caso ninguém compareça a região para conferir as demandas, um novo manifesto será realizado no início do mês de março que, também em ofício, pede “melhor comunicação da empresa com a comunidade”.

Reunião confirmada e retorno garantido

Em contato com a assessoria da concessionária, a informação é que o encontro entre as partes realmente aconteceu e que, nesse momento, a direção está realizando “estudos técnicos, laudos e perícias”, pois são demandas que exigem “mais tempo” segundo a empresa.

A promessa, no entanto, é que nessa semana a CCR entre em contato com os moradores para atualizar a despeito do andamento dos processos das eventuais resoluções.

Confira o posicionamento da empresa em nota:

No dia 12 de fevereiro, a CCR ViaCosteira realizou reunião com representantes de comunidades da região da praça de pedágio P1, no km 298, em Laguna.

A Comissão do Pedágio criada pela Associação de Moradores de Nova Fazenda representa as comunidades de Itapirubá, Roça Grande, Boa Vista, Caputera, Estreito e Nova Fazenda.

Na ocasião foram discutidos assuntos levantados pelas comunidades, e todos já estão sendo tratados pela concessionária.

A CCR ViaCosteira aproveita para reforçar que mantém sempre o diálogo aberto com todos os seus públicos, comunidade e usuários da rodovia.

Implantação de quatro praças de pedágio

Quatro praças de pedágio estão sendo implantadas no trecho Sul da BR-101, entre os municípios de Paulo Lopes, na Grande Florianópolis, e Passo de Torres, na divisa com o Rio Grande do Sul.

As praças, que já estão praticamente prontas, estão instaladas nas seguintes localidades: Laguna (km 298), Tubarão (km 344), Araranguá (km 404) e São João do Sul (457).

Quatro praças de pedágio estão sendo construídas no trecho Sul da BR-101 – Foto: Diogo de Souza/NDQuatro praças de pedágio estão sendo construídas no trecho Sul da BR-101 – Foto: Diogo de Souza/ND

A tarifa, que passa a ser mais cara já no momento da operação, deve ser confirmada em R$ 2,10 para veículos de dois eixos. A abertura das cancelas, também aguardando a validação por parte da ANTT (Agência Nacional dos Transportes Terrestres), pode ser confirmada para o dia 15 de março.

+

Economia SC