“Precisa abrir a caixa preta da Petrobras”, diz dono de posto de combustíveis em Joinville

Postos já estão repassando o novo aumento de preços nas bombas; confira como está a situação em Joinville

Quem pretende abastecer o carro com gasolina ou diesel vai precisar se agilizar e fazer uma boa pesquisa de preços entre os mais de 100 postos de Joinville.

Na quarta-feira, a Petrobras anunciou novos reajustes para os dois combustíveis nas distribuidoras e os postos, segundo o presidente do Sindipetro (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Santa Catarina), Luis Antônio Amin, não vão ter como evitar o repasse ao consumidor.

Posto de gasolinaPostos de Joinville já amanheceram com reajuste nos valores  – Foto: Jean Balbinotti/Divulgação ND

“O aumento do diesel foi de R$ 0,34 e o da gasolina, de R$ 0,23 por litro. Nossa margem de lucro é pequena e este reajuste impacta muito no capital de giro. Os postos menores já estão fazendo o repasse”, informa Amin.

De acordo com ele, o reajuste continuará chegando às bombas, já que em razão da forte concorrência existente no setor, alguns donos de postos podem segurar o repasse como forma de atrair clientes.

Defasagem de 17% no valor da gasolina

“Nós (os postos) não temos nada a esconder. O que precisa, na verdade, é abrir a caixa preta da Petrobras”, reclama Amin, lembrando que a empresa, apesar dos seguidos reajustes este ano, diz estar ainda com uma defasagem de 17% no valor da gasolina e de 28% no diesel.

Amin afirma que os postos são obrigados a fazer o repasse para manter o equilíbrio da operação, mas com cuidado para não afugentar o cliente. Isso porque a venda dos combustíveis sofreu uma queda de 50% a partir do crescimento dos casos de Coronavírus no país, no começo do ano passado e, desde o segundo semestre, vem esboçando reação, mas sem atingir ainda o patamar pré-pandemia.

“A queda chegou a 50%. Hoje estamos com um movimento ainda 20% menor. E nossa esperança é de que, com a volta das aulas a recuperação nas vendas continue”, explica.

Numa live na quinta-feira, o presidente da República, Jair Bolsonaro informou que a partir de 1o de março não serão cobrados os impostos federais sobre o diesel. A medida terá validade por 60 dias e deve se refletir, segundo Amin, no desempenho das vendas, já que representará uma redução de R$ 0,60 por litro. “E essa queda será repassada ao cliente”, garante Amin.

Acesse e receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Economia SC