Florianópolis fecha acordo para municipalização do Sine

Iniciativa faz parte do plano Floripa Mais Empregos e tem por objetivo fomentar a capacitação e encaminhamento dos trabalhadores ao mercado de trabalho, além de levar o serviço mais próximo do cidadão

Os impactos e desafios impostos pela pandemia do coronavírus mudaram as relações pessoais, profissionais e transformaram os negócios em todos os segmentos econômicos nacionais e mundiais.

Acordo vai possibilitar que o município assuma um protagonismo dentro da capacitação e da geração de oportunidades na Capital, aponta o secretário municipal de Defesa do Cidadão, Gabriel Meurer (Gabrielzinho) – Foto:PMF/Divulgação/NDAcordo vai possibilitar que o município assuma um protagonismo dentro da capacitação e da geração de oportunidades na Capital, aponta o secretário municipal de Defesa do Cidadão, Gabriel Meurer (Gabrielzinho) – Foto:PMF/Divulgação/ND

Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) apontam que o desemprego médio atingiu 13,4 milhões de pessoas em 2020, ano do início da pandemia de Covid-19. A taxa de desocupação ficou em 13,5%. O percentual é o maior em toda a série histórica da Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), que teve início em 2012.

Santa Catarina, no entanto, mantém a menor taxa de desemprego do país. No quarto trimestre de 2020, a taxa de desocupação no estado foi de 5,3%, o que representa uma melhora em relação ao trimestre anterior (6,6%). O dado foi divulgado no dia 10 deste mês de março pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e mostra que SC continua com índice bem abaixo da média nacional (13,9%).

Para combater o desemprego e estimular a economia em Florianópolis, Estado e Prefeitura da Capital oficializaram nesta terça-feira (30) a municipalização do Sine (Sistema Nacional de Empregos).

A decisão ocorreu após a assinatura de um acordo de cooperação técnica entre o governo catarinense e o Igeof (Instituto de Geração de Oportunidades de Florianópolis), órgão ligado à Secretaria Municipal de Defesa do Cidadão.

O vice-prefeito Topazio Neto destaca que a ação faz parte do plano Floripa Mais Empregos, anunciado em janeiro pelo município. “Esse é o passaporte legal para podermos buscar recursos para capacitar mais pessoas e direcioná-las às vagas que estão abertas, além de fazer com que o Sine tenha seu papel de fato no município”.

O secretário municipal de Defesa do Cidadão, Gabriel Meurer (Gabrielzinho), reforça que a municipalização do Sine é uma medida importante para população da Capital. “Isso vai fazer com que o município assuma um protagonismo dentro da capacitação e da geração de oportunidades em Florianópolis, o que o Igeof já faz hoje”, analisa.

De acordo com Meurer, a intenção é fazer também um mapeamento das áreas que mais precisam de emprego, mais carentes, do setor produtivo. “Desta forma, a gente consegue fazer cursos voltados a essas áreas, para que possamos encaminhar as pessoas ao mercado de trabalho com mais propriedade”, explica.

Atendimento à população

Em um primeiro momento, a estrutura de atendimento e realização de cadastros do SINE/SC em Florianópolis deve ser deslocada para a sede da Secretaria Municipal de Defesa do Cidadão, no Calçadão João Pinto, onde já são realizados os atendimentos do Procon Municipal e do Pró-Cidadão do Centro. O secretário da pasta defende, contudo, que todos os serviços sejam descentralizados e oferecidos nos bairros onde já existem núcleos regionais do Pró-Cidadão, com a expectativa que mais de 300 atendimentos por dia possam ser realizados.

“Este é um projeto que a gente vai fazer após tudo estar estruturado e organizado. A nossa ideia é fazer a descentralização do Sine, pois é importante que esse serviço fique mais próximo da população”, conclui Gabrielzinho.

Conforme determina a Lei Municipal nº 10.199, de 27 de março de 2017, a Prefeitura Municipal de Florianópolis informa que a produção deste conteúdo não teve custo, e sua veiculação custou R$2.000,00 reais neste portal.

+

Prefeitura de Florianópolis