Poder

os bastidores da política em Santa Catarina com informação e opinião sobre os fatos quentes do poder.


Salário mínimo regional em SC terá reajuste médio de 5,45%

Com isso, as quatro faixas do mínimo catarinense irão variar entre R$ 1.281 e R$ 1.467. O reajuste é fruto de acordo entre as federações patronais e entidades de trabalhadores de SC

O salário mínimo regional de Santa Catarina deverá ter aumento médio de 5,45% em 2021. O reajuste é fruto de acordo entre as federações patronais e os representantes das entidades de trabalhadores do Estado.

Com isso, as quatro faixas do mínimo catarinense irão variar entre R$ 1.281 e R$ 1.467. O resultado do acordo entre as entidades foi apresentado ao governador Carlos Moisés nesta segunda-feira (8), durante ato no Centro Administrativo.

Salário mínimo regional em SC terá reajuste médio de 5,45% – Foto: Marcos Santos/USP Imagens/Divulgação/NDSalário mínimo regional em SC terá reajuste médio de 5,45% – Foto: Marcos Santos/USP Imagens/Divulgação/ND

Agora, o governo do Estado encaminhará um projeto de lei à Alesc (Assembleia Legislativa) para oficializar o processo.

Segundo o governador, o projeto deverá ser enviado em regime de urgência ao parlamento, com um pedido para que não haja modificações, a fim de acelerar o processo.

Carlos Moisés também destacou que este é o terceiro projeto de lei enviado por sua administração à Alesc sobre a atualização do mínimo regional. Ao todo, entidades patronais e sindicais chegam a acordos sobre o tema há onze anos consecutivos.

Tramitação

Já estão em tramitação os primeiros projetos de lei elaborados pelos deputados estuais catarinenses no ano legislativo de 2021, iniciado na semana passada.

Ao todo, 10 proposições foram apresentadas pelos parlamentares na primeira semana de trabalhos na Assembleia Legislativa de Santa Catarina.

Leitos

Secretários de Saúde de todo o país pedem ao governo federal, em caráter de urgência, a habilitação de leitos de UTI para Covid-19 e a garantia do financiamento para a contratação de recursos humanos.

Em dezembro de 2020, dos 20.770 leitos então em uso, 12.003 encontravam-se habilitados, ou seja, financiados pelo Ministério da Saúde.

Porém, a expiração dos recursos extraordinários para o enfrentamento da pandemia, em dezembro de 2020, levou à queda do número de leitos para 7.717 em janeiro de 2021 e para apenas 3.187 neste mês.
Leandro Mazzini

Furada

Cidadão acompanha com expectativa a chegada de mais vacinas no estado para iniciação imediata da imunização. A variante do coronavírus que avança em vários países e que carimbou também o Brasil, levou Manaus a ver subida na contaminação e perdas de vidas.

O governador está empenhado em buscar qualquer uma, não interessa a marca, para garantir que todos tenham a alegria de levantar a manga e receber a proteção.

É assim que será garantido o retorno da vida diária tranquila que, antes da pandemia, não se percebia como a fragilidade está presente na humanidade.

A garantia na queda de baixas, seja nos leitos dos hospitais ou mortes, é o animador que todos aguardam com ansiedade. Quanto mais a vacinação cresce, eleva a expectativa de segurança para a economia. O mundo não é mais o mesmo depois da pandemia. Até os conflitos mundiais recuaram.
Marcos Schettini