Santa Catarina registra crescimento expressivo no varejo no mês de abril

Segundo secretário de Desenvolvimento do Estado, "crescimento é importante indicador que baliza o aquecimento econômico no Estado"

As vendas no varejo ampliado de Santa Catarina, que engloba atividades de comércio e vendas, apresentou crescimento expressivo de 36,8% em abril quando comparado ao mesmo período do ano passado. O setor também apresentou um acréscimo de 26% em março, comparado ao mesmo período do ano passado.

Além da alta nas vendas, o índice de confiança do empresário do comércio catarinense também voltou a subir. – Foto: Ricardo Wolffenbuttel / Divulgação/ SecomAlém da alta nas vendas, o índice de confiança do empresário do comércio catarinense também voltou a subir. – Foto: Ricardo Wolffenbuttel / Divulgação/ Secom

Segmentos como automóveis e artigos de uso pessoal fazem parte do grupo de varejo. No acumulado do ano, o acréscimo foi de 14%, índice maior do que a alta de 9,2% registrada no Brasil. A variação acumulada dos últimos 12 meses apontou um crescimento de 8,9%.

“O crescimento consistente e contínuo das vendas do comércio é um importante indicador que baliza o aquecimento econômico no Estado”, afirma Luciano Buligon, secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável do Estado.

O setor apresentou um crescimento de 2,7% em abril de 2021, quando comparado ao mês anterior. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a partir da PMC (Pesquisa Mensal do Comércio).

O governador do Estado, Carlos Moisés, afirma que: “os números têm mostrado uma retomada econômica em todos os setores, mesmo diante da pandemia e dos desafios impostos”.

Crescimento por áreas de venda

Alguns dos segmentos que impulsionaram o volume de venda no varejo ampliado em abril de 2021, quando comparado ao mesmo período do ano passado, foram:

  • Livros, jornais, revistas e papelaria (184,2%);
  • Artigos de uso pessoal e doméstico (116,1%);
  • Veículos, motocicletas, partes e peças (114,2%);
  • Tecidos, vestuário e calçados (103,9%);
  • Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (42,0%);
  • Móveis e eletrodomésticos (36,4%);
  • Materiais de construção (34,3%);
  • Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (27,1%);
  • Combustíveis e lubrificantes (16,1%).

Índice de confiança volta a subir

Dados apontam que o ICEC (Índice de confiança do empresário do comércio) voltou a subir em Santa Catarina em 2021, alcançando 88,5 pontos. Conforme índice calculado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de SC (Fecomércio/SC), o crescimento foi de 2,7% em maio, quando comparado ao mês de abril.

+

Economia SC