SC tem três cidades com o metro quadrado mais caros do Brasil

Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília lideram o ranking, segundo levantamento do Índice FipeZap. Veja quais são as cidades de Santa Catarina que fazem parte do ranking nacional

Balneário Camboriú, Florianópolis e Itapema estão entre as seis cidades brasileiras com os metros quadrados mais caros do país. Os dados são do Índice FipeZap, que acompanha o comportamento do preço médio de venda de imóveis residenciais em 50 cidades brasileiras. Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília lideram o ranking.

Balneário Camboriú é uma das três cidades com o metro quadrado mais caros do Brasil – Foto: Heitor Pergher/Divulgação/NDBalneário Camboriú é uma das três cidades com o metro quadrado mais caros do Brasil – Foto: Heitor Pergher/Divulgação/ND

O preço do metro quadrado em Balneário Camboriú, no litoral Norte do Estado, a quarta no ranking da FipeZap, ficou em R$ 7.776, maior do que a média nacional (R$ 7.524).

A capital catarinense aparece em quinto lugar com o valor médio de R$ 7.480. Logo em seguida vem Itapema, no litoral Norte catarinense, com o preço de R$ 7.210 o metro quadrado.

Entre as capitais monitoradas pelo Índice FipeZap as maiores variações registradas foram em Maceió (+1,82%), Manaus (+1,43%), Curitiba (+1,15%), Vitória (+0,90%), Florianópolis (+0,88%), Goiânia (+0,74%), João Pessoa (+0,72%), Brasília (+0,69%), Porto Alegre (+0,62%) e São Paulo (+0,46%).

Quando se refere aos últimos 12 meses, a capital catarinense aparece com uma das que a aparecem com variações positivas, tendo Manaus (+11,0%), Brasília (+9,52%), Maceió (+9,48%), Curitiba (+9,32%), Vitória (+7,78%), Florianópolis (+7,35%) e Campo Grande (+5,12%).

Em São Paulo e no Rio de Janeiro, os preços médios de venda de imóveis do segmento residencial acumulam altas de 3,91% e 1,88%, respectivamente.

Outras cidades também aparecem no levantamento do Índice FipeZap: Itajaí (R$ 6.459), no litoral Norte de SC; Joinville (R$ 4.909), no Nordeste do Estado; São José (R$ 4.354), na Grande Florianópolis; e Blumenau (R$ 4.251), no Vale do Itajaí.

Acesse e receba notícias de Itajaí e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Economia SC