Sul da Ilha cresce com instalação de empreendimentos comerciais às margens da SC-405

Grandes lojas de comércio varejista devem ser abertas para a alta temporada, um ano após a inauguração do novo acesso à região

Um ano após a inauguração do novo acesso ao Sul da Ilha, a região da Ilha conhecida por sua integração com a natureza e belas paisagens está em ampla expansão comercial. Nas próximas semanas, em um trecho de dois quilômetros de extensão da Rodovia Francisco Vieira (SC-405), novos empreendimentos serão inaugurados já visando o início da alta temporada, a partir de 15 de dezembro.

Sul da Ilha vive momento de expansão comercial as margens da SC-405. Foto: Anderson Coelho/NDSul da Ilha vive momento de expansão comercial as margens da SC-405. Foto: Anderson Coelho/ND

O Sul da Ilha virou a bola da vez da especulação imobiliária na Ilha na última década. A combinação de qualidade de vida aliada a conceitos como sustentabilidade e integração à natureza tem atraído cada vez mais futuros moradores e investidores e gerado demanda para a expansão comercial da região.

Porém, até 2014, o plano diretor da Capital restringia a ocupação dos terrenos às margens da SC-405 para implantação de negócios de tecnologia e não possibilitava a construção de empreendimentos comerciais.  Em 10 anos, entre a inauguração da Via Expressa Sul em 2004 até a mudança do plano diretor, esse descompasso produziu um cenário contrastante.

Novos loteamentos foram instalados às margens da rodovia, provocando um salto na densidade populacional da região, de 40 mil moradores, segundo o Censo do IBGE de 2010, para até 100 mil, segundo estimativas de imobiliárias da região. Apesar disso, os moradores continuavam obrigados a se deslocar para outras regiões, como Lagoa da Conceição e Centro, onde supriam as carências comerciais.

A partir de 2014, com o novo plano diretor, o principal eixo de conexão com o Sul da Ilha passou a receber um primeiro mix comercial, composto de pequenos estabelecimentos, tais como pet shops, restaurantes, floriculturas, lojas de material de construção, oficinas, padarias, entre outros. Mas ainda faltavam as grandes lojas de comércio varejista, que estão em fase final de instalação às margens da rodovia.

Espaços em construção sediarão megalojas da redes varejistas. Foto: Anderson Coelho/ND-Espaços em construção sediarão megalojas da redes varejistas. Foto: Anderson Coelho/ND-

“É muito salutar e interessante esse desenvolvimento do Sul da Ilha, que vive um novo momento. O novo acesso, inaugurado há um ano, visava esse desenvolvimento”, destaca o presidente da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas), Ernesto Capoani.

Morador do Sul da Ilha, o dirigente também destaca a necessidade de obras de infraestrutura, como a melhoria da própria SC-405. “Temos que estar preparados para que não tenhamos falta de mobilidade”, alerta. Contato pela reportagem, o secretário de Estado de Infraestrutura, Thiago Vieira, garantiu a intenção de duplicar a SC-405 no trecho entre a rótula do novo acesso ao aeroporto até a Armação do Pântano do Sul.

Investimentos devem ultrapassar R$ 50 milhões

Há um ano, um empreendimento atacadista inaugurado em 2018 reinava às margens da SC-405, no Campeche. Após a inauguração do novo acesso, os terrenos adjacentes foram comercializados para instalação das megalojas em um investimento que deve ultrapassar os R$ 50 milhões.

O valor é estimado com base no custo de construção dos espaços, com média de dois mil metros quadrados a um preço de R$ 1,8 mil por metro quadrado. Cada um dos espaços deve gerar até 50 empregos diretos em média. Uma das lojas começou operar na última semana com 20 funcionários, mas com a expectativa de aumentar o número de colaboradores a partir do início da alta temporada.

Presente na região com duas lojas, a Koerich é uma das redes de comércio varejista que traz para o Sul da Ilha o conceito de megaloja com uma abordagem diferente, privilegiando o auto atendimento em tempos de pandemia. Em fase final de construção, a megaloja da rede catarinense pretende ampliar o mix de produtos. A Milium, de Joinville, é outra rede varejista que também aguarda a conclusão do espaço de dois mil metros quadrados para instalar mais uma loja na Ilha, a primeira na região.

A gigante Havan também vai se instalar às margens da SC-405, em um terreno em fase de terraplanagem, localizado m frente à loja da Casas D’Água, inaugurada ainda durante a pandemia. Uma loja de calçados, uma transportadora e o centro de distribuição de uma empresa de perfumes (aproveitando a proximidade com o aeroporto) também devem alugar imóveis recém construídos no trecho.

Um lugar para morar, trabalhar e viver

Orçado em R$ 50 milhões, o OKA Floripa é um dos empreendimentos em construção que simbolizam o segundo boom de desenvolvimento do Sul da Ilha. Com previsão de entrega para maio de 2022, o empreendimento já comercializou 100% da área residencial (84 apartamentos) assim como 70% da área comercial (64 salas).

Empreendimento adota novas tendências construtivas. Foto: Anderson Coelho/NDEmpreendimento adota novas tendências construtivas. Foto: Anderson Coelho/ND

O OKA Floripa foi idealizado antes mesmo da inauguração do novo acesso e da finalização do elevado do Rio Tavares, obras que facilitaram o acesso ao Sul da Ilha. Com duas torres e um mall (alameda comercial), é um dos primeiros projetos de Mixed Use (Uso Misto) da Grande Florianópolis.

Diretor da Santa Ilha Imóveis, Felipe Coin Bacichette, relata que todo esse cenário estrutural apresentado aos investidores na época do lançamento do empreendimento se concretizou. “A grande sacada da SC-405 é que ela é uma via de destino, diferente da SC-401, por exemplo, que é uma via de passagem”, compara.

Segundo Bacichette, o OKA Floripa traz os novos conceitos de urbanismo, como trabalhar, morar e viver em um lugar só, e está localizado no coração do Sul da Ilha. “Está localizado em um ponto de grande articulação, a dois quilômetros da praia, a quatro da Lagoa do Peri, e seis do aeroporto”, destaca.

Concebido para estar totalmente integrado à paisagem, o OKA Floripa também traz inovações na sua construção, como fachadas ventiladas e coberturas verdes, além da baixa geração de resíduos. A obra começou a ser executada em novembro de 2019 pela Domini Incorporadora, de Caxias do Sul (RS). A construtora já havia assinado outros projetos na região.  “É uma obra modular, que será entregue com placas solares e painel fotovoltaico em funcionamento”, completa Basichette.

O Crescimento do Sul da Ilha

Alvarás Todos os Tipos Construtivos

  • 2018: 273
  • 2019: 221

Alvarás para construção unifamiliar:

  • 2015: 128
  • 2016: 170
  • 2017: 196
  • 2018: 227
  • 2019: 180

Fonte: Sinduscon

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Economia SC

Loading...