Altair Magagnin

altair.magagnin@ndmais.com.br Não é só sobre política. É sobre o impacto das decisões públicas na tua vida. Jornalista profissional com experiência multimídia, acompanha os bastidores do poder e traz análises e notícias exclusivas. Siga @altamagagnin nas redes.


Vem de MG exemplo que poderia ser copiado por Santa Catarina para baixar preço do diesel

Governador Romeu Zema decidiu travar gatilho que aumenta ICMS; valor sobre o qual cada Estado cobra sua fatia do ICMS

Vem de Minas Gerais um exemplo que poderia ser seguido em Santa Catarina. O governador Romeu Zema (Novo) decidiu travar o gatilho que aumenta o ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias) sobre o óleo diesel.

Trata-se do PMPF (Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final), valor sobre o qual cada Estado cobra sua fatia do ICMS.

No cenário atual, o diesel vendido em Santa Catarina é mais barato do que em Minas. Tanto a média do preço é menor quanto o percentual de imposto cobrado. Veja o comparativo considerando o valor do diesel S-500.

Comparativo de preços do diesel e de percentual de imposto em SC e MG – Foto: Arte: Altair Magagnin/NDComparativo de preços do diesel e de percentual de imposto em SC e MG – Foto: Arte: Altair Magagnin/ND

Santa Catarina estuda mudar forma de cobrança do ICMS

No dia em que a Petrobras anunciou mais um aumento no preço da gasolina e do diesel, o blog apurou junto à Secretaria de Estado da Fazenda que ainda está em fase de estudos a mudança na forma como o governo de Santa Catarina cobra o ICMS (Imposto sobre Mercadorias e Prestações de Serviços) dos combustíveis.

A Secretaria de Estado da Fazenda analisa cobrar o ICMS depois da venda do combustível, não antes, como acontece hoje.

Os donos de postos de combustíveis pagam o ICMS antecipadamente ao Estado.

Caso Santa Catarina efetivamente mude o modelo, chamado de Substituição Tributária, esse pagamento seria posterior à venda ao consumidor final.

Abastecimento em posto de combustível – Foto: Ricardo Wolffenbüttel/Divulgação/NDAbastecimento em posto de combustível – Foto: Ricardo Wolffenbüttel/Divulgação/ND

A redução na bomba ocorreria pelo fato de que, na prática, muitos postos aumentam os combustíveis já considerando uma previsão do que pagarão antecipadamente em impostos.

Sem a antecipação tributária, o preço ficaria mais perto da média geral, definida pelo PMPF (Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final), reajustado no dia 13.

Por exemplo, mesmo que o PMPF da gasolina comum seja de R$ 5,77, a grande maioria dos postos cobram acima deste valor.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...