As lições do Vale do Silício

Empresário saiu de Santa Catarina para participar da missão do Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade e aprendeu lições importantes que poderiam ser adotadas no Estado

O empresário Alcione Belache foi o único representante de Santa Catarina na missão empresarial do IBQP (Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade) que fez visitas técnicas em Palo Alto, meca da tecnologia no Vale do Silício, nos Estados Unidos. Gestor e um dos sócios da Renovigi, empresa de Chapecó que atua no ramo de energia renovável através de projetos fotovoltaicos, Belache trouxe dos Estados Unidos algumas lições que poderiam ser aplicadas por aqui.

Para começar, conta o empreendedor natural de Curitiba e que mudou-se para Santa Catarina para atuar na Reovigi com outros empresários de Chapecó, impressiona no Vale do Silício a forte integração entre as universidades e as indústrias. “Produtos ou ideias desenvolvidas dentro das universidades vão para as indústrias. Precisamos avançar muito nisso por aqui”, observa.

Outro ponto fundamental para a maior competitividade das empresas norte-americanas é a ausência de burocracia. “Lá eles montam uma empresa em poucos dias, e o empreendedor tem acesso ao capital se tiver uma boa ideia. A pessoa que fracassa nos Estados Unidos ganha uma estrelinha porque correu o risco. Eles preferem apostar em alguém que tentou e fracassou do que naquele que nunca tentou”, conta Belache.

Falta de confiança

A missão empresarial internacional do IBQP levou executivos, pesquisadores, acadêmicos, gestores públicos e empresários de diferentes partes do país para uma das regiões mais inovadoras do mundo na semana passada. Um dos locais visitados foi a Plug and Play, aceleradora de startups no Palo Alto responsável pelo surgimento de empresas como o Pay Pal. Para Alcione Belache, outro fator que dificulta a vida do empreendedor no Brasil, se comparado com os Estados Unidos, é que aqui o investidor de capital de risco tem menos confiança em aplicar os seus recursos em uma boa ideia. Além disso, há bem mais capital disponível lá do que no Brasil.

Seguir o bom exemplo

A empresa de Alcione Belache, a Renovigi, atua há dois anos e meio no ramo de energia fotovoltaica. O empresário afirma que o retorno do investimento em um sistema de geração de energia solar, que antes era de 10 anos, em média, agora passou para seis anos – devido às recentes elevações na conta de energia elétrica e à perspectiva que ela aumente a média de 20% nos próximos quatro ou cinco anos. Mas para incentivar ainda mais o segmento, Belache afirma que Santa Catarina poderia seguir o bom exemplo de Minas Gerais. O governo mineiro isentou, por cinco anos, do ICMS a geração de energia solar feita pelo consumidor. 

Gostinho de novo lar

Quem sonha em morar em um lugar com segurança e diversas opções de lazer, incluindo um campo de golfe executivo e exclusivo, pode ter o gostinho desta experiência amanhã no 1º Torneio Amizade Reserva Golf Club. O evento, destinado tanto para profissionais quanto para iniciantes adeptos do esporte, é um convite para possíveis compradores de lotes do empreendimento experimentarem o campo. Com 70% de área verde preservada, o Reserva Camboriú Yacht & Golf tem 163 lotes com tamanhos entre 643 e 2.062 metros quadrados. O torneio tem o apoio do Balneário Camboriú Convention & Visitors Bureau. 

Claus Weihermann/Divulgação/ND

Estrutura do campo de gol executivo e exclusivo do condomínio Reserva Camboriú Yacht & Golf será testado amanhã pelos participantes do primeiro torneio promovido no local

Terça-feira cheia

A próxima terça-feira será movimentada em Florianópolis. O Lide (Grupo de Líderes Empresariais) Santa Catarina promove a partir das 12h do dia 24 o primeiro Almoço-Debate do ano com o economista Paulo Rabello de Castro, presidente do Lide Economia e da SR Rating, primeira empresa de classificação de riscos de crédito do país. No mesmo horário, a ADVB/SC (Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing de Santa Catarina) reúne convidados para o lançamento do livro “Tanto em 30 – As três décadas da ADVB/SC”. No mesmo evento será aberto o processo de votação do Prêmio Personalidade de Vendas 2015.

Cartão de crédito Koerich

A Lojas Koerich, que projeta fechar o ano com 100 lojas – atualmente a rede tem 95 -, chega aos 60 anos com outra novidade: a empresa vai lançar no mercado um cartão de crédito com bandeira própria tendo como instituição financeira de suporte a Kredilig. “Gosto de dizer que esse será um trampolim do nosso projeto CFK (Cartão de Facilidades Koerich). Aqui, novamente voltamos às nossa origens, trazendo um novo produto ao mercado e buscando a confiança dos consumidores”, observa Antônio Koerich, presidente da rede de lojas. A previsão é que o cartão de crédito Koerich seja lançado até o início do segundo semestre.

Ambiente concorrido

A nova sede da Acate (Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia), que será inaugurada no dia 16 de março, já está com a casa quase cheia. Das 32 salas planejadas para aluguel no local, apenas quatro estão disponíveis. A Acate foi a primeira a se mudar, no mês passado. Mas já estão garantidas no local as nove empresas incubadas residentes pelo MIDI Tecnológico, o i3 (Instituto Internacional de Inovação da Acate) e as empresas Impact Hub, Power Opticks, SIMB Tecnologia, Way2, Glóbulo, ValueNET e S4TH, além da aceleradora de startups da Senior Sistemas. Um ambiente que já nasce como referência em inovação no país.

Campanha pelo título

O clube catarinense Green Valley, de Camboriú, está investindo pesado na campanha para voltar para a primeira posição no concorrido ranking TOP 100 Clubs Dj Mag. A votação para escolher as melhores casas de música eletrônica do mundo promovida pela revista britânica Dj Mag encerra no dia 28. Uma equipe de pouco mais de 100 pessoas estão envolvidas na campanha da Green Valley para reconquistar o título de melhor clube do mundo – feito conquistado em 2013. Liderada pelo Núcleo de Geração de Valores do clube, a campanha utiliza principalmente as redes sociais para pedir voto – que pode ser dado no site www.greenvalley.art.br/vote

Adriel Douglas/Divulgação/ND

O Green Valley, de Camboriú, está mobilizando pouco mais de 100 pessoas para incentivar os votos que podem fazer o local ser eleito, pela segunda vez, o melhor clube de música eletrônica do mundo
Loading...