Em visita de Bolsonaro, Trump diz que vai apoiar entrada do Brasil na OCDE

Questionado sobre facilitação de vistos a brasileiros, presidente norte-americano afirmou que possibilidade é cogitada, mas rapidamente mudou de assunto

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta terça-feira, 19, que irá apoiar a entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), um pleito brasileiro.

“Eu estou apoiando o Brasil para entrar na OCDE”, disse, no Salão Oval da Casa Branca, onde recebeu o presidente Jair Bolsonaro.

O pleito é visto pelo Brasil como um selo de confiança internacional e tem sido defendido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

Bolsonaro entrega camisa personalizada a Trump – Isac Nóbrega/PR

Questionado sobre facilitação de vistos a brasileiros, Trump afirmou que essa possibilidade é cogitada, mas rapidamente mudou de assunto para criticar o nível de comércio entre os dois países.

“Pensando muitas coisas em diferentes opções, também estamos pensando facilitar os vistos, mas o comércio que temos com o Brasil não é tão bom como deveria ser. Temos que trabalhar para que seja o melhor possível”, afirmou o americano.

Os dois presidentes trocaram camisetas de futebol. Trump presenteou Bolsonaro com uma camiseta de um time americano, com nome do Bolsonaro escrito atrás. Já Bolsonaro deu uma camisa da seleção brasileira com o número 10, do Pelé, e o escrito “Trump” nas costas. Bolsonaro estava acompanhado do filho mais novo, o deputado Eduardo Bolsonaro.

Mais cedo, o ministro da Economia, Paulo Guedes afirmou que o Representante Comercial dos Estados Unidos, Robert Lighthizer pediu que o Brasil deixe a lista de países de tratamento especial e diferenciado da Organização Mundial do Comércio (OMC) em troca do apoio norte-americano à entrada na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Segundo o ministro, essa foi a solicitação de Lighthizer. “Eu fiz o meu pedido: quero entrar na primeira divisão. Ele falou: então me ajuda a limpar a segunda divisão.”

Guedes: representante comercial dos EUA foi ‘um pouco duro’

Paulo Guedes afirmou que Robert Lighthizer foi “um pouco duro” na reunião realizada na segunda-feira, 18, na qual questões comerciais foram tratadas.

“Eu até brinquei falando que ele pensou que eu sou chinês”, destacou. “Ele está analisando país a país para reduzir o superávit comercial que possuem com os EUA. Só que, no caso do Brasil, o País tem um déficit comercial com os Estados Unidos.”

De acordo com Guedes, Lighthizer destacou que o Brasil precisaria entender que, para ingressar na OCDE, “nós queremos definir claramente o espaço dos países”, porque “se é uma economia madura, uma das maiores, então tem que sair do grupo favorecido da OMC”.

Segundo o ministro, esse foi a solicitação de Lighthizer. “Eu fiz o meu pedido: quero entrar na primeira divisão. Ele falou: então me ajuda a limpar a segunda divisão.”

Ao ser questionado se aceita o pedido de Lighthizer, Guedes destacou: “Não vou dizer em que lado vou bater o pênalti.”

+

Economia