Entidades lamentam e classificam como exceção as ações denunciadas na Operação Carne Fraca

Até o momento apenas as entidades nacionais CNA e ABPA se posicionaram sobre as denúncias feitas pela Polícia Federal e pela Receita Federal

Duas entidades nacionais já se posicionaram sobre a Operação Carne Fraca deflagrada nesta sexta-feira (17/03) pela Polícia Federal e pela Receita Federal e que atingem alguns dos maiores frigoríficos do país. Entre as empresas citadas estão a gigante global BRF, maior empresa privada de Santa Catarina, com sede em Itajaí, e a JBS, que tem unidades de processamento de frango, de suínos e de valor agregado no Estado.

A CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil) disse em nota que considera “lamentável a denúncia de que alguns dos principais frigoríficos do país, com o apoio de uma rede de fiscais agropecuários do Ministério da Agricultura, estariam envolvidos num esquema de venda ilegal de carnes ao consumidor”.

A ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal) destacou o reconhecimento internacional do status sanitário do setor e afirmou que “falhas que eventualmente venham a ser comprovadas são exceções em um modelo produtivo que é referência para o mundo”. Ainda de acordo com a nota da associação, as questões apontadas pela Operação Carne Fraca seriam “questões pontuais, que não refletem todo o trabalho desenvolvido pelas empresas brasileiras durante décadas de pesquisas e investimentos para ofertar produtos de alta qualidade”.

Entidades que representam a agropecuária e os produtos de proteína animal se posicionaram sobre a Operação Carne Fraca que investiga irregularidades no setor de carnes do país - Marco Santiago/ND
Entidades que representam a agropecuária e os produtos de proteína animal se posicionaram sobre a Operação Carne Fraca que investiga irregularidades no setor de carnes do país – Marco Santiago/ND

Confira, a seguir, as notas da CNA e da ABPA na íntegra:

NOTA DA CNA, assinada pelo presidente João Martins da Silva Junior:

“A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil – CNA considera lamentável a denúncia de que alguns dos principais frigoríficos do país, com o apoio de uma rede de fiscais agropecuários do Ministério da Agricultura, estariam envolvidos num esquema de venda ilegal de carnes ao consumidor. As investigações fazem parte da Operação Carne Fraca, deflagrada pela Polícia Federal nesta sexta-feira, 17 de março.

Como representante dos produtores rurais, a CNA defende que os fatos envolvendo frigoríficos e fiscais agropecuários sejam apurados com rigor. E que, uma vez comprovados, possam levar à punição exemplar dos envolvidos.

Os produtores rurais têm dado uma grande contribuição ao desenvolvimento nacional. Geram emprego, renda e alimentos de qualidade para a população.  Portanto, não é justo que tenham a sua imagem maculada pela ação irresponsável e criminosa de alguns.”

NOTA DA ABPA:

“Com relação à Operação Carne Fraca, deflagrada pela Polícia Federal na manhã de hoje (17/03), a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) destaca que o Brasil é reconhecido internacionalmente pela qualidade e status sanitário de seus produtos, que são auditados não apenas pelos órgãos brasileiros como também por técnicos sanitários dos mais de 160 países para os quais exporta.

Legislações internas e internacionais – estabelecidas por órgãos como o Codex Alimentarius – norteiam o trabalho de excelências desenvolvido pelas agroindústrias brasileiras.

Neste sentido, falhas que eventualmente venham a ser comprovadas são exceções em um modelo produtivo que é referência para o mundo.  São questões pontuais, que não refletem todo o trabalho desenvolvido pelas empresas brasileiras durante décadas de pesquisas e investimentos, para ofertar produtos de alta qualidade.

A ABPA, desta forma, condena quaisquer práticas comprovadas – as quais, reafirmamos, são pontuais – que impactem negativamente o consumidor do Brasil e do exterior.  A associação ressalta, ainda, que todos os problemas detectados serão rapidamente corrigidos pelo setor, intensificando ainda mais os cuidados que já são tomados em prol da qualidade dos produtos. 

Ao mesmo tempo em que apoia a operação e as investigações, a ABPA reitera sua confiança no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), nos fiscais federais agropecuários e nas empresas que, com seriedade, comprometimento e competência, vem ajudando a alimentar o Brasil e o Mundo nas últimas décadas”.