Estado quer dar crédito para injetar R$ 1 bilhão na economia catarinense

Trata-se de um instrumento para estimular a concessão de dinheiro de forma facilitada para micro, pequenos e médios empreendedores

Os chefes dos Poderes Executivo, Legislativo, Judiciário, do MPSC (Ministério Público estadual) e do TCE (Tribunal de Contas do Estado) se reuniram na tarde desta terça-feira (23) para discutir uma proposta de criação do Fundo Estadual de Garantia de Crédito.

Lideranças de várias esferas dos poderes participaram do encontro em Florianópolis – Foto: Julio Cavalheiro/SecomLideranças de várias esferas dos poderes participaram do encontro em Florianópolis – Foto: Julio Cavalheiro/Secom

Trata-se de um instrumento para estimular a concessão de crédito de forma facilitada para micro, pequenos e médios empreendedores em Santa Catarina, por conta da pandemia de Covid-19. A ideia é de injetar até R$ 1 bilhão na economia do Estado.

A reunião ocorreu na Casa D´Agronômica para debater uma versão preliminar do projeto, cuja discussão será aprofundada pelas áreas técnicas dos órgãos. Segundo o governador Carlos Moisés, o objetivo é que o Fundo se torne permanente e conte com o envolvimento das instituições públicas, de forma a estimular o desenvolvimento e a retomada econômica em Santa Catarina.

Leia também:

“O objetivo é que criemos um Fundo de Estado, e não de um Governo. A concessão de crédito injeta dinheiro de forma direta na economia, o que contribui para uma recuperação mais rápida. Temos certeza de que Santa Catarina sairá ainda mais forte desse momento difícil. Essa é uma ação não apenas econômica, mas também de esperança”, afirma o governador Carlos Moisés.

Os presidentes da Alesc (Assembleia Legislativa), deputado Júlio Garcia, e do TJSC (Tribunal de Justiça), desembargador Ricardo Roesler, destacaram que a ideia é oportuna e que discutirão detalhes com as equipes técnicas dos órgãos.

O procurador-geral de Justiça, Fernando Comin, salientou que a ideia é importante para a retomada de uma agenda positiva. Discurso na mesma linha foi adotado pelo presidente do TCE, conselheiro Adircélio de Moraes Ferreira Júnior.

Também participaram da reunião: o diretor-superintendente do Sebrae-SC, Carlos Henrique Ramos Fonseca; o presidente da Fecam (Federação Catarinense dos Municípios) e prefeito de Major Vieira, Orildo Severgnini; os secretários de Estado da Fazenda, Paulo Eli, do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Rogério Siqueira, e o chefe da Casa Civil, Amândio João da Silva Júnior; o presidente do BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul), Marcelo Haendchen Dutra; e o presidente da Badesc (Agência de Fomento de Santa Catarina), Eduardo Alexandre Corrêa de Machado.

+ Economia