Feeai espera movimentar R$ 105 milhões em negócios

Volume previsto pelos organizadores da feira é 35% maior que na edição anterior

Rogerio da Silva/ND

Robô usado em cursos técnicos do Senai em ação na Feeai

Joinville é reconhecida por seus importantes polos de metalurgia, mecânica, plástico e tecnologia da informação, mas nesta semana a cidade abre também suas portas para as novidades em eletroeletrônica, energia e automação industrial. Até sexta-feira (20/4), mais de 10 mil pessoas devem participar da 5ª Feeai (Feira de Eletroeletrônica, Energia e Automação Industrial), que acontece no Megacentro Wittich Freitag, na Expoville.

Realizada a cada dois anos, a feira reúne 52 expositores nesta edição, com a expectativa de gerar mais de R$ 105 milhões em negócios no evento e pós-feira. Esse volume é quase 35% superior ao montante gerado pela Feeai 2010.

A feira também abre espaço para a educação. O Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), por exemplo, expõe um dos robôs usados nos cursos técnicos e superiores de automação e mecatrônica. Com ele, os alunos aprendem a programá-lo e manuseá-lo.

De acordo com o diretor da Euro Feiras, Walter Khairalla, que organiza a Feeai 2012, os expositores têm a oportunidade de ampliar seu relacionamento com clientes e mostrar diferenciais de competitividade. “Quem não é visto não é lembrado. Por isso, estar numa feira como esta é se manter próximo do cliente, alinhando ou até já fechando importantes negócios no evento”, avalia.

A Minipa, que começa a produzir instrumentos de medição elétricos e eletrônicos a partir do mês que vem no Perini Business Park, foi uma das empresas que procurou a Feeai para “se apresentar” ao mercado da região. Fundada em São Paulo, a empresa transferiu sua unidade fabril para a China em 1996, buscando maior competitividade.

A vinda para Santa Catarina visa o retorno da produção ao Brasil. A expectativa da empresa é, a médio e longo prazo, ter sua própria fábrica, provavelmente em Araquari. “Vamos começar em Joinville, para poder atender toda a região Sul. Mas nossos planos é fabricar parte dos mais de 200 produtos aqui no Brasil”, explica o gerente comercial da Minipa, Cyro Andersen.

A unidade em Joinville será como a de São Paulo: receberá e testará todos os equipamentos e redistribuirá. O investimento foi de R$ 1 milhão, com a geração de 20 empregos diretos.

Leia mais na edição de quinta-feira do Notícias do Dia Joinville

Acesse e receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Economia