Fiesc incentiva o engajamento dos catarinenses na educação

Depois de envolver indústrias, pais e jovens na causa, entidade lança projeto que convida a população em geral a atuar como voluntária em iniciativas de melhoria do sistema de ensino catarinense

O Movimento A Indústria Pela Educação foi lançado em 2012 e, pouco a pouco, foi ampliando o seu foco de atuação. Criado pela Fiesc, o movimento procura ajudar a resolver um problema crônico que tira a competitividade do Brasil: a qualidade da educação. Na sexta-feira, durante a primeira reunião da diretoria da Fiesc neste ano, a iniciativa ganhou uma nova e importante amplitude. A partir de agora você, caro leitor, pode também se envolver no projeto para melhorar a educação em Santa Catarina.

Em 2013 o Movimento A Indústria pela Educação contemplou a esfera da Fiesc e das indústrias do Estado que passaram a aderir à causa liderada por Glauco José Côrte. Depois, em 2014, foi a vez dos pais fazerem parte do movimento e, no ano passado, os jovens foram convidados a arregaçar as mangas pela causa. Agora, além de focar a gestão escolar, o movimento convoca qualquer pessoa que puder contribuir com conhecimentos e motivação para participar do projeto “Eu Voluntário – Deixando o Meu Legado”.

O desejo do presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, é que pelo menos 100 pessoas em cada uma das 16 câmaras regionais do movimento no Estado façam parte do projeto como voluntárias. A proposta é conseguir 1,6 mil voluntários até junho e concretizar até 200 ações até dezembro. Desde que foi criado, o Movimento A Indústria pela Educação já conseguiu envolver 11.715 pessoas, entidades e organizações.

Como participar

O projeto “Eu Voluntário – Deixando o Meu Legado” já começou. Mesmo que o lançamento oficial tenha sido feito na reunião da diretoria da Fiesc, o projeto tinha dado os primeiros passos dias antes com a criação de uma página específica no Facebook – que ontem ao meio-dia contava com 6.271 participantes – e com uma página específica no site da Fiesc. Acessando o portal do movimento é possível inscrever-se como voluntário. A partir do dia 5 será possível também, no mesmo espaço, inscrever as demandas por ações por parte das escolas.  

Importância do tema

A educação é um tema vital para o desenvolvimento individual e coletivo. É importante para o profissional que quer crescer em sua carreira e é fundamental para o desenvolvimento e a competitividade de qualquer país. De acordo com o último relatório da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) sobre a educação, o Brasil é o sexto país com o pior resultado no indicador de pessoas entre 25 e 34 anos de idade que não concluíram o ensino secundário. Ainda de acordo com a OCDE, mais de 80% dos adultos que tem ensino superior no mundo estão empregados, enquanto apenas 60% dos adultos com ensino médio estão na mesma condição. As chances são menores conforme piora a escolaridade.

Referências em SC

Durante a reunião na Fiesc também foi apresentado o novo vídeo da série Histórias da Indústria. No ano passado a série trouxe os perfis de João Stramosk, Jair Philippi e Elias Seleme Neto e, agora, conta a trajetória do engenheiro agrônomo Glauco Olinger (foto), fundador da Acaresc (hoje Epagri). Olinger pediu para falar antes de ser homenageado e deu dois recados: primeiro, falou do excesso de pessoas no mundo e da necessidade de abordar o controle populacional nas escolas; e, depois, pediu para os empresários se preocuparem com a degradação dos recursos naturais. “Dinheiro não se come”, enfatizou. A série Histórias da Indústria é um belo documento com reportagem e produção de Leniara Sabin Machado, imagens do cinegrafista Jean Carlos de Souza, direção de Elvys Sewald e edição de Daniel Luiz da Silveira. 

Fernando Willadino/Divulgação/ND

O engenheiro agrônomo Glauco Olinger pediu a palavra na reunião da diretoria da Fiesc para pedir atenção para o controle populacional e para a gestão consciente dos recursos naturais

Mais investimento

O secretário de Desenvolvimento Econômico de São José, Bernardo Meyer, escreveu para a coluna comentando um novo investimento na cidade. O Grupo Pereira estaria investindo na terceira unidade Fort Atacadista de São José – e a sétima na Grande Florianópolis. O novo Fort tem previsão de ser entregue em abril nas margens da BR-101, no bairro Kobrasol. De acordo com Meyer, a unidade tem previsão de gerar 270 empregos diretos e 800 empregos indiretos. “Importante ressaltar que São José conta com lei de incentivos fiscais que favorece a atuação de empresas do segmento de logística e distribuição, como o Fort Atacadista”, escreveu Meyer.

Mentoria estratégica

Termina hoje o período de inscrições para o projeto Mentoria da Acif Jovem no qual empreendedores em início de carreira poderão receber o auxílio de empresários consolidados como Diogo Kleinubing, da Blueticket; Larissa Kroeff, da Meucopo Eco; e Juliana Sales, do Outback Florianópolis, também patrocinador do projeto. Inscrições pelo e-mail consultor2@acif.org.br

12,9%

é a diferença entre os fretes praticados pelo mercado no país e os custos efetivos da atividade segundo pesquisa realizada pelo Decope (Departamento de Custos Operacionais, Estudos Técnicos e Econômicos da NTC&Logística) com 300 empresas do setor. “Pelos dados apresentados, essa perda tem origem no acúmulo nas defasagens ao longo dos anos e na inflação dos insumos que compõem os custos, como o combustível e a mão de obra”, avaliou o dirigente sindical Osmar Ricardo Labes, presidente do Setcesc (Sindicato das Empresas de Transporte de Carga e Logística no Estado de Santa Catarina). 

Namoro turbinado

O site de relacionamento Coroa Metade, voltado para pessoas com mais de 40 anos de idade, começou 2016 apostando nos dispositivos móveis com uma versão responsiva. Criado em novembro de 2012 por Airton Gontow, o site contabilizava até meados de janeiro 2,5 milhões de visitantes, 96 mil cadastros e 33 casamentos. “Esperamos em até seis meses dobrar o número de usuários e chegar ao final de 2016 com 300 mil cadastros”, comentou Gontow. Em Santa Catarina o Coroa Metade tem 2,2 mil usuários – a expectativa é que este número chegue a 6 mil até o final do ano. O ranking de cidades com maior número de pessoas cadastradas é liderado por Florianópolis, Blumenau e Joinville, nesta ordem.

Divulgação/ND

Site de relacionamento para quem tem mais de 40 anos de idade, o Coroa Metade, que tem cerca de 2,2 mil usuários em Santa Catarina, chega aos dispositivos móveis 
Loading...