Fraudadores do auxílio emergencial vão acabar na cadeia, avisa Onyx

Ministro da Cidadania informou que fraudes estão sendo investigadas pela Abin (Agência Brasileira de Inteligência)

Fraudes no pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 por conta da crise do novo coronavírus estão sendo investigadas pela Abin (Agência Brasileira de Inteligência), informou o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni.

Aplicativo “Caixa | Auxílio Emergencial” – Foto: ND/ReproduçãoAplicativo “Caixa | Auxílio Emergencial” – Foto: ND/Reprodução

Em coletiva no Palácio do Planalto nesta terça-feira (7), o ministro disse que vários sites falsos já foram derrubados. “Esses recursos são para as pessoas; não é para fraudador”, afirmou.

E também alertou: “Fraudadores, atenção, vocês vão acabar na cadeia.”

Leia também

Durante a coletiva, Onyx reforçou ainda o posicionamento do presidente Jair Bolsonaro ao destacar que é preciso ter um equilíbrio entre as medidas de saúde e a atividade econômica durante a pandemia.

O auxílio de R$ 600 é uma forma do governo garantir renda por três meses para trabalhadores informais, intermitentes e microempreendedores afetados pela crise.

Desafio

O presidente do Dataprev, Gustavo Canuto, destacou um outro desafio do governo para o pagamento do recurso, que é a identificação de quem tem o direito ao auxílio nas bases do governo.

“Você não deve autorizar o pagamento do auxílio a famílias que recebem outro auxílio do governo federal, fora o Bolsa Família. Para verificar essa informação precisamos varrer todas as bases do governo”, disse.

Ele comentou que o último processamento da base demorou cerca de 14 horas. “Um pagamento errado vai resultar em uma falta de credibilidade de todo o programa”, declarou.

Segundo ele, mais importante do que pagar é pagar de maneira correta.

+

Economia