Greve paralisa a produção de veículos da Chery no interior de SP

MARTHA ALVES

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A produção de veículos na fábrica da montadora chinesa Chery, em Jacareí (84 km de São Paulo), está paralisada desde a manhã da última quinta-feira (28). Os 400 funcionários entraram em greve por tempo indeterminado e pedem reajuste salarial.

Os metalúrgicos reivindicam reajuste salarial de 9,2%, renovação de acordo coletivo, melhoria no convênio médico e implantação do Plano de Cargos e Salários.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos, a empresa oferece 1,7% de reposição da inflação do período de setembro de 2016 a agosto de 2017.

Outra reclamação dos trabalhadores é que a empresa trocou a prestadora de convênio médico sem consultá-los. Eles disseram que houve uma queda da qualidade do benefício e exigem o retorno do anterior ou a total gratuidade do plano atual.

Segundo o diretor do sindicato Guirá Borba de Godoy Guimarães, a proposta da Chery está muito distante da pauta de reivindicações dos trabalhadores.

“Além do índice econômico extremamente rebaixado, a recusa em aplicar um PCS e alterar o convênio médico mostra a intransigência da empresa. Enquanto não houver avanços, a greve continua”, disse o diretor do sindicato Guirá Borba de Godoy Guimarães.

Na último dia 22, os trabalhadores já tinham paralisado as produção da empresa como advertência.

+

Economia

Loading...