Nova rodada de negociações está marcada para as 9h

Metalúrgicos da Tupy entraram em greve na segunda-feira em Joinville

Fabrício Porto/ND

Fundição Tupy vive greve em Joinville, pela primeira vez em 16 anos

Após assembleia na tarde de segunda-feira (9/4), em que os trabalhadores metalúrgicos da Tupy decidiram por manter a greve até um acordo “mais justo”, os sindicatos da categoria retomaram as conversas. Houve um encontro ao final da tarde e outro à noite, mas as duas rodadas de negociações terminaram sem acordo.

O sindicato patronal manteve a mesma proposta de reajuste de 6% e piso salarial de R$ 792, enquanto os trabalhadores querem correção de 10,5%, piso salarial de R$ 900, renovação da convenção coletiva, ampliação da licença maternidade para seis meses, auxílio creche, folga durante o Carnaval e melhores condições de trabalho.

O sindicato que representa os trabalhadores recusou a proposta na mesa de negociações e a greve segue na terça-feira (10/4). Uma nova rodada de negociações está marcada para ocorrer às 9h. Se houver alguma proposta diferente, ela será colocada em votação em assembleia em frente à Tupy, aonde vem se concentrando o movimento grevista.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Genivaldo Marcos Ferreira, acredita que uma proposta melhor não foi apresentada na segunda-feira (9/4) porque o sindicato patronal espera um enfraquecimento da greve na terça-feira (10/4). “Acho que eles vão avaliar a evolução da mobilização para depois fazer uma nova proposta”, disse.

De acordo com Genivaldo, por enquanto as negociações vêm ocorrendo entre os sindicatos patronal e laboral. “A Tupy ainda não nos procurou para uma proposta paralela, mas isso pode ocorrer nesta terça (10/4)”, prevê.

Leia mais na edição de terça-feira do Notícias do Dia Joinville

Acesse e receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Economia