O pacto da mediocridade

Você já ouviu falar no pacto da mediocridade? Funciona assim:

Divulgação / ND Online

Gerson Raul Persike

– Na Escola, o professor finge que ensina e o aluno finge que aprende;

– Na família, os pais fingem que entendem os filhos e os filhos fingem que respeitam os pais;

– Na política, a sociedade finge que é politizada e os políticos fingem que trabalham pelo povo;

– Na Empresa, os líderes fingem que buscam resultados eficazes e os colaboradores fingem que estão comprometidos em atingi-los.

Na verdade, é um pacto do fingimento e, onde este está instalado, os medíocres vicejam.

Neste pacto, os resultados esperados nunca acontecem, as metas nunca são alcançadas, a Educação não muda, a família não se harmoniza, o país não avança e as Empresas não crescem.

E todos vão vivendo, ou melhor, vegetando, dia a dia, numa sucessão de mediocridade e inércia.

Costumo dizer, em minhas palestras de liderança corporativa, que a única coisa que o Líder não pode fazer é “nada”. Ou você acredita que uma Empresa paga alguém para não fazer nada, não planejar, avaliar as situações e agir?

E isso vale para os Líderes, mas, também, para todos em qualquer momento de sua vida. Deve-se sempre analisar as situações que se apresentam e, caso estas se mostrem como um problema, este então deve ser resolvido prontamente e de maneira eficaz.

Uma vez, um sábio chinês reuniu seus discípulos, mostrando aos mesmos um belo e caríssimo vaso da dinastia Ming. Colocou o vaso sobre uma pequena mesa e lhes disse: “- Este vaso é o meu problema. Como posso resolver o problema?”.

Os discípulos, intrigados com esta charada, começaram a dar opiniões: “- Mestre, vamos guardar o vaso, assim o senhor não estará mais vendo o problema. Ou, então, vamos pintar o vaso com outra cor, desta forma, ele parecerá diferente. Ou, então, simplesmente, vamos olhar para o outro lado, afinal, a paisagem é mais bonita”.

O sábio chinês apenas, respondeu: “- Não; não são estas as soluções! Vocês querem esconder o problema, camuflá-lo com outras cores ou, simplesmente, fingir que ele não existe”.

De repente, um dos discípulos, mais sagaz e determinado, desembainhou sua espada e, num único, golpe, quebrou o vaso. Por fim, olhando para o mestre, falou: “-Pronto, mestre! Agora o senhor não tem mais o problema”!

E esta, verdadeiramente, era a solução! Mas, muitos poderão dizer: “-Puxa, o vaso era caro, raríssimo; era, praticamente, intocável.” Pois é; mas era o problema.

Muitas vezes, em nossa vida, precisamos “quebrar o vaso”. É verdade que sempre restarão alguns cacos, mas, pelo menos, demos conta do que estava, verdadeiramente, causando as dificuldades.

O fato é que se deve criar coragem, encarar as situações de frente e buscar as soluções. Não podemos aceitar o pacto da mediocridade, onde ficamos, todos, no faz de conta e onde nada se resolve. Problemas e situações não resolvidos são bombas-relógio que, certamente, irão explodir lá na frente, causando grandes estragos. Então, não aceite este pacto e quebre o seu vaso, seja ele profissional, financeiro ou emocional.

 Uma semana de sucesso é o que vamos e merecemos ter!

————————————————————————————————

Gostando de nossos textos semanais? Mande sua opinião ou nos contate para ações em sua Empresa pelo e-mail: comercial@cmtreinamento.com.br

Acesse nosso site: www.cmtreinamento.com.br

 

Gerson Raul Persike é um especialista em atendimento, vendas, telesserviços e preparação de lideranças empresariais. Filósofo e formado no Programa de Desenvolvimento de Dirigentes da Fundação Dom Cabral, aplica assessorias nas áreas de gestão de talentos, capacitação de lideranças e formação de equipes motivadas e produtivas. Empresário, é diretor da empresa “Comunicação & Mercado – Treinamentos Empresariais”, escritor, colunista, consultor e palestrante internacional. Efetua, também, cursos, treinamentos, palestras motivacionais, gestão e planejamentos comerciais e de atendimento para Organizações de sucesso no Brasil e exterior.