Previdência complementar é alternativa para manter padrão de vida na aposentadoria

Cerca de 90% dos brasileiros com mais de 25 anos não investem na aposentadoria. O número faz parte do Relatório Global do Sistema Previdenciário 2020 da seguradora Allianz e mostra o quanto ainda é preciso avançar no país quando o assunto é planejamento previdenciário.

Quem não reserva dinheiro para a aposentadoria, depende exclusivamente do benefício do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). O problema é que dificilmente o contribuinte vai se aposentar pela previdência social recebendo o mesmo valor da média salarial ao longo da vida. No fim, a falta de planejamento pode resultar em queda no padrão de vida no momento da aposentadoria em casos em que não se investe e se depende exclusivamente da Previdência Social.

“Todas as pessoas são obrigadas a contribuir, autônomos, não autônomo, quem tiver qualquer espécie de trabalho que aufira algum tipo de rendimento obrigatoriamente terá que contribuir e dessa contribuição vai resultar um benefício. Um benefício que é imprescindível porque todos nós vamos precisar dele em algum momento, seja para uma licença-maternidade, seja para uma aposentadoria. Entretanto,

pode ser que a sigla INSS redunde noutro significado: isso não será suficiente”, diz a advogada e conselheira do OABPrev-SC, Eliane Pacheco.

Ferramenta para planejamento

Simulador de renda permite projetar valor da aposentadoria na previdência privada. – Foto: OABPrev-SC

Para evitar aperto na aposentadoria, mais de 200 mil pessoas investem nos 30 planos de previdência complementar oferecidos em Santa Catarina. A rentabilidade fez a previdência privada virar o segundo investimento mais popular do Brasil, depois da poupança. 

No último ano, os fundos da previdência privada reportaram um rendimento médio de 11,1%. Na prática, uma pessoa que contribui com cerca de R$ 200 reais ao longo da vida, pode resgatar um valor médio de R$ 2.000 mensais na aposentadoria. Os valores das mensalidades são flexíveis e podem ser calculados online através de uma simulação. 

O simulador de renda do OABPrev-SC permite mensurar o valor a ser recebido. Não é obrigatório fornecer os dados, nem preencher cadastro para acessar o serviço. Basta informar o tempo de contribuição, o valor mensal e a idade em que gostaria de começar a receber o benefício. A ferramenta é útil para a tomada de decisão e mostra gráficos que dão a dimensão do rendimento do valor aplicado ao longo dos anos.

Estratégia para manter o padrão de vida começa na juventude

Planejamento feito na juventude garante qualidade de vida para o advogado Luiz Fernando Molléri – Foto: Arquivo pessoal

“O envelhecimento não é fake news. Ele acontece e acontece pra todos. Para o jovem inclusive. Todos nós já fomos jovens”, diz Pacheco.

“Quando chega perto da aposentadoria o que que a gente vê normalmente aquele jovem hoje na condição de idoso dizendo: ‘nossa, como passou rápido. o que eu fiz da minha vida e se eu voltasse eu faria diferente’. Então é de se questionar o que aconteceu entre o jovem e o aposentado: faltou planejamento”, diz.

Com 67 anos, o advogado de Itajaí, Luiz Fernando Molléri, recebe duas aposentadorias. “Eu estou aposentado pelo INSS desde 2010. Em 2017, eu requeri benefícios da OABPrev e desde então, ou seja, estamos próximos de completar 3 anos, eu venho recebendo da OABPrev os benefícios da previdência privada”, diz Molléri.

“Eu, se fosse parar com a advocacia e ficar dependendo só dos recebimentos da previdência social… Você não consegue manter a sua qualidade e seu padrão de vida”, diz.

Para Molléri, aposentadoria não significa marasmo. Ele segue com uma vida ativa com atividades laborais, intelectuais e sociais, além da prática de esportes. Uma prova de que a qualidade de vida na terceira idade pode ser construída ao longo da juventude. 

“Eu ando muito de bicicleta, passeios ciclísticos, pedaladas… e também faço academia. Vou com frequência à praia, caminho, vou ao clube, pratico natação quando é possível…Na prática o que a gente precisa ter que é o maior patrimônio é a saúde, né?”

A previdência privada que Molléri escolheu para investir é o OABPrev-SC, que é específica para a advocacia. São mais de 8 mil advogados e familiares que aderiram aos planos. A decisão de investimento ocorreu na juventude. “Na prática a gente começa a analisar, e isso também ouvindo colegas advogados mais experientes, que diziam assim: ‘procurem preparar o futuro’. Por que a gente não sabe o dia de amanhã”, diz.

Previdência complementar é alternativa para manter padrão de vida na aposentadoria

Aos 67 anos, Molléri recebe duas aposentadorias e vive plenitude nas atividades intelectuais, laborais e sociais. - Arquivo pessoal
1 5

Aos 67 anos, Molléri recebe duas aposentadorias e vive plenitude nas atividades intelectuais, laborais e sociais. - Arquivo pessoal

Aos 67 anos, Molléri recebe duas aposentadorias e vive plenitude nas atividades intelectuais, laborais e sociais. - Arquivo pessoal
2 5

Aos 67 anos, Molléri recebe duas aposentadorias e vive plenitude nas atividades intelectuais, laborais e sociais. - Arquivo pessoal

Aos 67 anos, Molléri recebe duas aposentadorias e vive plenitude nas atividades intelectuais, laborais e sociais. - Arquivo pessoal
3 5

Aos 67 anos, Molléri recebe duas aposentadorias e vive plenitude nas atividades intelectuais, laborais e sociais. - Arquivo pessoal

Aos 67 anos, Molléri recebe duas aposentadorias e vive plenitude nas atividades intelectuais, laborais e sociais. - Arquivo pessoal
4 5

Aos 67 anos, Molléri recebe duas aposentadorias e vive plenitude nas atividades intelectuais, laborais e sociais. - Arquivo pessoal

Aos 67 anos, Molléri recebe duas aposentadorias e vive plenitude nas atividades intelectuais, laborais e sociais. - Arquivo pessoal
5 5

Aos 67 anos, Molléri recebe duas aposentadorias e vive plenitude nas atividades intelectuais, laborais e sociais. - Arquivo pessoal

+

OAB Prev SC