Sebrae orienta pequenos empresários para retomada de atividades econômicas

Protocolos de segurança foram realizados com o objetivo de dar tranquilidade a empresários e clientes em todo o país

Devido ao início da retomada dos pequenos negócios ocorrendo em todo o país, o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) tomou algumas medidas para auxiliar os empresários com mais segurança, mediante as dificuldades em decorrência da crise econômica e de saúde causada pela pandemia do novo coronavírus.

Sebrae orienta e auxilia pequenos empresários em retomada das atividades – Foto: Flávio Tin/Arquivo/NDSebrae orienta e auxilia pequenos empresários em retomada das atividades – Foto: Flávio Tin/Arquivo/ND

Com o objetivo de apoiar as micro e pequenas empresas na retomada das atividades econômicas no país, o Sebrae disponibiliza no portal da instituição, uma página específica onde os empresários vão ter acesso a um conjunto de protocolos com orientações de boas práticas nacionais e internacionais, alinhadas com as recomendações das autoridades de saúde.

Ao todo, foram elaborados 35 documentos para 47 segmentos setoriais, que correspondem a 75% dos pequenos negócios do Brasil e são responsáveis por 46% dos empregos gerados no Brasil.

Leia também:

A primeira etapa da iniciativa começou na última quinta-feira (4), quando o Sebrae atendeu aos empresários dos segmentos que representam 57% dos pequenos negócios.

Eles são formados pelos setores de moda, beleza, estética, bares, lanchonetes, restaurantes, lojas de rua e de shopping, academias de ginástica, clínicas e saúde.

Além de e-books, são disponibilizados vídeos orientativos de curta duração em que os donos de pequenos negócios poderão verificar, de forma simples, quais os procedimentos eles deverão adotar na empresa.

De acordo com o presidente do Sebrae, Carlos Melles, os protocolos de retomada têm sido muito utilizados no processo de orientação para que as empresas consigam receber novamente os clientes e oferecer os produtos e serviços de forma presencial.

“Os documentos são muito relevantes para que o empresário, juntamente com seus colaboradores, fornecedores e clientes consigam, de fato, superar esta fase. Mais importante do que abrir, é se manter aberto e ter um local mais seguro. O Sebrae acredita muito que essa ação será um diferencial para que possamos ter uma retomada consistente em nosso país”, declarou.

Sebrae/SC garante segurança para clientes e empresários

O gerente de atendimento do Sebrae/SC, Douglas Luís Três, afirma que os protocolos de retomada partiram de estudos dos setores mais impactados.

“Conversamos com os órgãos oficiais e representativos, esses documentos foram construídos a varias mãos e obedecendo os protocolos do governo.
Queremos que a retomada seja de forma segura”, ressalta.

Douglas explica que o Sebrae pretende dialogar com os governos dos estados, para a publicação de portarias orientativas específicas de acordo com a situação da pandemia em cada local.

O gerente explica que, em conversas com empresários, foi constatado que a população sente insegurança para ir até as ruas. “A população está insegura, […], por isso estamos investindo em protocolos de segurança, para dar tranquilidade ao consumidor”.

Quanto aos setores que dependem de aglomerações, Douglas Luís Três lamenta que as expectativas são de dificuldades para todo o resto do ano. O gerente afirma que o “novo normal” só será possível após uma vacinação em massa.

Ainda de acordo com Douglas, o cenário exige novas configurações de negócios. “As empresas vão ter que se reorganizar, criando novos canais de comunicação, participação mais pró-ativa nas redes sociais. Acreditamos que com cuidados e criatividade a gente consegue retomar a economia de uma forma que os pequenos negócios não sofram tanto”.

Senador Jorginho Mello aposta em crédito barato

O senador Jorginho Mello aposta no Pronampe (Programa Nacional de Apoio as Microempresas e Empresas de Pequeno Porte) para propor crédito barato as micro e pequenas empresas.

“Infelizmente muitas empresas vão desaparecer, isso é um crime. Temos que preservar empregos e a economia, por isso precisa de crédito barato.”

O crédito do Pronamp, por meio de uma lei de autoria do próprio senador Jorginho Mello, dá 36 meses de prazo, oito meses de carência, juro de 5% ao ano e não precisa de garantia real, visto que tem um fundo garantidor para os bancos da operação.

“Temos que recomeçar com força e determinação para que a economia volte a dar emprego e gerar alegria a todos nós”, conclui.

Segunda etapa

Já nesta quarta-feira (10), o Portal do Sebrae vai trazer novos conteúdos para os outros segmentos da alimentação. Com atenção especial para o MEI (microempreendedor individual), confeitarias, panificadores, feiras livres, minimercados e mercearias.

Nessa etapa, os empresários da construção civil, tanto da indústria quanto das lojas do segmento também vão ter acessos aos protocolos segmentados nos formatos de e-book e vídeos.

Na última fase, prevista para o dia 15 de junho, os empresários vão ter acesso aos outros materiais de apoio. Eles foram preparados para facilitar a implementação das medidas indicadas nos protocolos, como um check-list.

Por meio desse recurso, os donos de pequenos negócios vão poder verificar, junto com a equipe, quais práticas que já foram implementadas e quais ainda precisam de atenção.

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

+ Economia