Sem energia elétrica, avicultor projeta prejuízo com aviário no Oeste

Vendaval derrubou eucalipto sobre a rede que abastece a localidade de Linha Feliz e deixou pelo menos 50 moradores sem luz

O ciclone que passou por Santa Catarina na terça-feira (30) ainda deixa marcas. O avicultor Amélio Dal Piva, de 51 anos, que mora no interior de Planalto Alegre, no Oeste de Santa Catarina, já projeta prejuízos em sua produção, uma vez que a energia elétrica ainda não foi restabelecida na região.

Sem energia elétrica, avicultor do Oeste de SC teme prejuízos em aviário – Foto: Amélio Dal Piva/Arquivo pessoal/ND

A propriedade aloja 7,1 mil pintos da BRF e está sem luz há 48 horas (desde às 12h de terça-feira), quando a região foi atingida por rajadas de vento de até 108 km/h.

Amélio diz que o abastecimento da alimentação das aves é feito de forma automática, mas precisou ser adaptado para o trabalho manual, por conta do ‘apagão’ na comunidade. Ele, a esposa e o filho fazem o serviço.

Abastecimento é feito de forma manual – Foto: Amélio Dal Piva/Arquivo pessoal/ND

“Como é tudo automatizado, os pratos são pequenos e vai pouca ração, por isso, a cada duas horas precisamos reabastecer. Os pintos estão ficando quatorze horas de jejum, quando teria que ser apenas seis, desta forma não vão se desenvolver”, ressalta o avicultor.

As aves costumam consumir 1,4 mil quilos de ração (milho) por dia. Com o abastecimento manual, o consumo caiu pela metade.

“Vamos pesar as aves na próxima terça-feira. Se estiverem abaixo do peso, terão de ficar mais tempo no aviário. A previsão era de carregar em 40 dias, mas vai mais uns 15 dias, isso se a luz voltar logo”, avaliou Amélio. 

Leia também:

Na localidade de Linha Feliz, onde o avicultor mora com a família e onde está localizado o aviário dele, pelo menos 50 famílias estão sem energia elétrica desde terça-feira. É que o vendaval provocou a queda de um eucalipto sobre a rede.

Imagens enviadas por Amélio mostram os fios espalhados pela estrada que dá acesso à localidade. O produtor disse que tentou ligar, mas não conseguiu fazer contato com a Celesc.

Cabos caídos na comunidade – Amélio Dal Piva/Arquivo pessoal/ND

Contraponto

Por meio de vídeo, o diretor comercial da Celesc André Curtarelli afirmou que a companhia ainda trabalha para restabelecer a energia elétrica em várias localidades. 

+

Economia