TAC já prepara a mudança para o Ceará

Fábrica de Joinville parou para transferência da montadora do jipe Stark a Sobral, aprovada em assembleia de acionistas

Arquivo/ND

Linha de produção do Stark no Perini Business Park, em Joinville

O Stark não é mais joinvilense. Os acionistas da TAC Motors, empresa que monta o automóvel em Joinville, bateram o martelo sobre a mudança da produção do jipe para o Ceará, em assembleia realizada na sexta-feira (27/4).

A fábrica, que funcionava no Perini Business Park, já parou para os preparativos da mudança, que deve ser finalizada até o final de maio. Em junho, os novos Stark já sairão da unidade alugada de 20 mil metros quadrados na cidade de Sobral, a 238 quilômetros de Fortaleza.

Projetada desde o primeiro semestre de 2011, a mudança já era dada como certa desde o começo do ano, quando a TAC assinou protocolo de compromisso com a Prefeitura de Sobral e com o governo do Estado do Ceará.

A explicação para a transferência é simples, mas envolve uma série de motivos. A empresa afirma que não conseguia mais crescer em Joinville pela falta de incentivos fiscais, o que encarecia o preço do Stark. No Ceará, o preço do jipe deve ser reduzido em pelo menos 20%.

Entre os incentivos, a TAC terá isenção de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), hoje em 25% por causa do motor do jipe de 2.3 litros, e de Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social), que costuma ser de 3% sobre o faturamento bruto das empresas. Esses benefícios são concedidos pelo governo federal para desenvolver as regiões Norte e o Nordeste. A TAC ainda receberá incentivos estaduais, do FDI (Fundo de Desenvolvimento Industrial) e redução do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) por 10 anos.

Os acionistas também aprovaram aporte de R$ 220 milhões para investimentos nos próximos dez anos no Ceará. A TAC também passará a se chamar TAC Motors S.A.

Um dos maiores investidores da TAC é o governo de Santa Catarina, através da SC Parcerias, que detém 14% das ações. O governo pediu a devolução dos R$ 6,2 milhões e deve receber até o final de 2013, corrigidos pelo IGP-M (Índice Geral de Preços ao Mercado).

Mais próxima dos principais mercados consumidores de veículos 4×4 (Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste) e do seu principal concorrente, o Troller T4, que desde 2007 pertence à Ford e é produzido em Horizonte (CE), a TAC espera chegar a produzir 3.000 unidades do Stark por ano. Em Joinville, não passava de 150 jipes anuais.

Leia mais na edição de terça-feira do Notícias do Dia Joinville

Acesse e receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Economia